sexta-feira, 30 de abril de 2010

Biografia de um notável de Sines - Dr. José Miguel da Costa

 Dr. José Miguel da Costa, ao centro na imagem, com os seus amigos Joaquim Barbosa e a irmã deste


Breve biografía de Dr.José Miguel da Costa (1922-2005)

Nasceu em Sines a 26 de Novembro de 1922, filho de Joaquim da Costa e Maria Rufina de Jesus Costa, teve uma irmã de nome Maria Rufina da Costa (14/4/24 – 16/4/26) que faleceu com 2 anos de idade.

Fez a instrução primária em Sines, tendo como professores Sines Fernandes e a Ana Borregana Lopes Paulo.Com o falecimento dos seus pais , como era menor, foi internado num colégio em Lisboa onde completou o liceu, o seu tio José da Costa foi o
seu tutor até atingir a maioridade, e como seu educador teve o seu tio materno prof. Manuel Loureço Rita.

Em 1942 fez os preparatórios de medicina , na faculdade de ciências da universidade de Lisboa; em 1943 entrou para a faculdade de medicina de Lisboa, interrompendo o curso em 1946 para cumprir o serviço militar em Bragança, como aspirante a oficial miliciano; promovido a alferes miliciano no ano seguinte, esteve nas 1ª manobras da 1ª Região Militar em 1951, sendo promovido a tenente miliciano um ano depois.

No ano de 1952 frequentou o 3º e 4º ano de faculdade de medicina da universidade de Coimbra, é neste altura que trocou a medicina por a arqueologia , embora já antes se dedicasse desde miúdo à Geologia e História, que foi aprendendo nos livros de seu pai e tios.

Os primeiros passos para a arqueologia começam em 1938, com o arqueólogo Dr. J.O. Cruz e Silva (fundador do Museu Municipal de Santiago do Cacém), no Cerro do Banheiro onde acompanhou os trabalhos ali realizados, tal como na herdade da Provença , Monte Novo, Vale Pincel, Boavista , Quin6ta da Lameira , Chãos, Porto Covo , Cerca do castelo de Sines , Aldeia dos Chãos , Castelo Velho, Palmeira e hipódromo de Mirobriga, nos concelhos de Sines e Santiago do Cacém.

Em 1946 Visita o Museu de Bragança , onde conheceu o Abade do Baçal com que quem muito contactou e muito aprendeu.

Em 1945, a convite da Câmara Municipal de Sines organizou e fundou a Biblioteca Pública de Sines, passados 27 anos é novamente convidado pela Câmara Municipal de Sines para reorganizar a Biblioteca Pública de Sines, reabriu ao público em 2 de Novembro de 1972 .

Em 1948, fez uma visita de estudo aos museus do País que durou um mês; dois anos depois, visita os museus de Madrid , Cordoba e Sevilha onde adquiriu mais conhecimentos no campo museológico e arqueológico.

Em 1951 manteve contactos com o antigo Ministério das colónias direcção geral da fazenda para comprar o forte da ilha do Pessegueiro, o que só não veio a suceder porque apenas o referido Ministério apenas estva disponíel para arrendar o imóvel, não vender.

Em 1954 volta a percorrer os museus nacionais. Em Setembro de 1957 fez uma viagem pela Europa mediterrânea afim de estudar os Museus e monumentos, passando por Cádis, Almeria ,Málaga, Murcia, Valencia , Tarragona , Barcelona, Arles, Nice , Marselha, Nimes, Génova ,Roma , Pádua , Veneza, Milão regressando por Lion e Bordéus .

Em 1958 , o professor Dr. Manuel Heleno faz-lhe o convite para trabalhar com ele em Tróia e no museu Dr. Leite de Vasconcelos .

Nos finais dos anos 50, convida o seu amigo João Correia como professor para colaborar na campanha contra a analfabetismo entre os seus trabalhadores agrícolas na Provença.

Em Dezembro de 1959 visita os museus de Bruxelas e París .

Nos anos de 1955,1956,1957 são feitas na Vila de Sines obras de saneamento, tendo a expensas suas salvo o riquíssimo espólio arqueológico que vai dar contributo para a fundação do Museu Arqueológico Municipal de Sines, inaugurado em Novembro de 1962.

Em 1960 conhece o Sr. Prof. Dr. D. Fernando de Almeida, que no Verão desse mesmo ano o convida a dirigir as sondagens da cerca exterior do Castelo de Sines , em busca dos alicerces da Basílica visigótica do séc.VII , nos anos de 1962, 1963 encontra 3 conjuntos de cetárias Romanas, restos de habitações, um forno de cerâmica, um poço etc.
Das muralhas do castelo de Sines retira 55 peças lavradas , pertencentes a dita Basílica do séc. VII assim como restos de bases e colunas romanas. O espólio encontrado nesses anos foi publicados por os professores Adilia e Jorge Alarcão.

Conheceu os arqueólogos Dr. Fernando Nunes Ribeiro, Dr. D Maria de Lurdes da Costa Artur, acompanhando-a nas campanhas de Mirobriga , travou conhecimento com arqueólogo prof. Abel Viana; após ter mostrado todo o espólio recolhido até a data, todos estes grandes arqueólogos portugueses o aconselharam e incentivaram a publicar e até mesmo a fundar um museu em Sines.

Em 1962, por sua iniciativa e à sua custa, organizou e fundou o Museu Arqueológico Municipal de Sines. Em 30 de Dezembro de 1962`é inaugurado o Museu no edifício da Câmara Municipal de Sines , onde ocupou 3 salas com o espólio arqueológico das obras de saneamento, das sondagens da cerca exterior do Castelo e de outros achados do concelho de Sines, em 1963 este espólio é enriquecido com 17 pedras lavradas provenientes do convento da nossa senhora do Loreto (Santiago do Cacém ).

Em Junho de 1966, por intermédio do prof. Dr. Manuel Heleno, informou a junta nacional de educação do achado do Tesouro do Gaio ( 1 de Maio de 1966 ) e um mês depois , à sua custa, dirige as sondagens no local do achado

Em Novembro, faz uma comunicação ao Instituto Português de Arqueologia História e Etnografia sobre o tesouro , a esta comunicação assistem entre outros o Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sines o prof. Carlos Manafaia .

Em Outubro de 1967 é autorizado pelo Prof. Manuel Heleno, e com um subsídio da C.M.S, a continuar as escavações na Herdade do Gaio.

A 16 de Março de 1969 , devido a um Sismo, o Museu instala-se provisoriamente na sua moradia, ocupando 9 divisões e aberto ao público.

Em 1972, para comemorar o 2º aniversário do museu organizou com o prof. Fernando de Almeida uma série de palestras sobre arqueologia, história e etnografia do concelho de Sines, uma grande exposição sobre armas do séc. XVI ao séc. XX e uma exposição de documentos e publicações sobre Sines , que foram filmadas e transmitidas 2 dias depois na RTP.

Em 1972 colabora com a secção de arqueologia, agregada ao Gabinete da área de Sines, onde trabalha na necrópole da idade do bronze da herdade da Provença , com os arqueólogos Farinha dos Santos , Carlos Tavares da Silva e Joaquina Soares.
No mesmo ano faz uma nova comunicação sobre o tesouro do Gaio – novos achados- dando conhecimento dos seus trabalhos de Outubro de 1967.

Os anos de 1972-73 foram intensos para o Dr. José Miguel da Costa pois realizou uma série de palestras em Sines integradas nos festejos do 10º aniversario do Museu, onde estiveram os melhores arqueólogos , historiadores, geólogos ,etc. do País.

De 1973 a 1982 faz um interregno em relação as escavações, dedicando-se as visitas dos Museus de Portugal e estrangeiro e apresentando o seu trabalho sobre o tesouro do Gaio (entretanto publicado).

Pelo meio dá-se o 25 de Abril . Entretanto é criado o Gabinete de Arqueologia do Gabinete da Área de Sines pelo Dr. Carlos Tavares da Silva e pela Dr. Joaquina Soares, onde o Dr. José Miguel da Costa não aceita integrar.

Não podemos esquecer, que depois de o Museu ter saído da Câmara Municipal de Sines para sua casa teve que ser criado os Amigos do Museu de Sines , porque lhe foi retirado os subsídios e o ordenado ao funcionário Sr. Joaquim Baptista Vilhena da Silva, que foi pago por os amigos do Museu e por ele. Com a presidência de Carlos Lopes Paulo, 1974 ,o funcionário Joaquim Martins é reintegrado nos quadros da C.M.S e o Museu volta a ter subsídios assim como outros problemas são resolvidos devido a insistência do Dr. José Miguel Costa .

Depois de algum tempo por Lisboa, embora vindo temporariamente a Sines, volta em 1981 devido a obras na sua casa. O ano de 1981 começa com as comemorações do 20º aniversario do Museu.

É a partir deste ano que a Maria do Carmo e eu entramos para o Museu, e como ele costumava dizer “ Quero sangue novo, para que isto não se perca...”

1981 – Ao fim de alguns anos em Lisboa, vindo a Sines só no Verão; é neste ano que se “ radica “ na sua terra natal, faz grandes obras na sua casa.

No ano de 1982 dedica-se de alma e coração ao museu com o objectivo da criação de um museu de raiz, tem várias reuniões com a C.M.S que lhe dá carta branca para avançar, tinha como objectivo criar o museu no triângulo castelo/C.M.S/e a sua casa (Museu), convida para vir a Sines o arquitecto Dr. Fernando Lhanas, que ficou encantado quer com o rico espólio, quer com Sines e as suas gentes, com os quais teve contacto.

Em Setembro de 1982 visitou o norte do país, nomeadamente Porto, Guimarães, Braga, Viana do Castelo, Coimbra e Coninbriga.

No plano do Museu, dinamizou-se com várias exposições integradas no 20º aniversário do Museu, a 1ª foi em 1982 com postais e quadros com vista sobre Sines que no fim foi emprestada ao Museu Arqueológico de Setúbal.

Ainda em 1982 fez-se uma exposição de etnografia sobre Sines com a ajuda do Poeta Al Berto sendo o cartaz de divulgação de sua autoria.

No final de exposição ficou a criação da parte de etnografia do Museu que até então era só de arqueologia .

No final de 1982, de 14 de Setembro a 14 de Outubro, é inaugurada a exposição do grande pintor Emmerico Nunes, onde se reuniram um grande número de quadros emprestados pela família e particulares e também com os seus quadros, não esquecendo o material sobre a vida e obra do pintor, que ficaram expostas em conjunto com as pinturas.

Em 1985 esteve 3 dias no 3º congresso sobre o Alentejo em Elvas. Depois visitou Nisa, Castelo Branco, Idanha-a-Nova e Idanha-a-Velha, esta última por causa da arte visigótica, e por fim Guarda .

Em 1988 faz uma exposição sobre Vasco da Gama, com o material dele, entre vários livros, moedas, medalhas, etc.

Em 1989 esteve presente nas 2ª jornadas de arqueologia em Monforte, visitando todo o distrito de Portalegre e deslocando-se 3 dias a Mérida afim de conhecer a colecção de arte visigótica existente naquela cidade.

Nos anos 80/90 amplia o Museu de 6 salas para 9 criando duas exposições temporárias um a de numismática /notofilia e uma outra de História natural (fósseis , rochas, minerais etc.)

No dia do Município de 1997, o Museu foi agraciado com a medalha de mérito da Câmara Municipal de Sines.

1996 - Colaborou. com o Dr. José de Encarnação na publicação “Monumentos Epigráficos romanos do Museu de Sines.
1997 - convida o Rui Santos para colaborador.
1998 - faz parte da exposição “ Da ocidental praia Lusitana – Vasco da Gama e o seu tempo “ que se realizou no castelo de Sines.

Colaborou com o Dr. Dias Diogo na publicação da separata “ Elementos sobre a produção de ânforas e a transformação piscícola em Sines durante a época Romana “

No Verão de 2001 deixa de comprar jornais e deixa de ler.

Em Maio de 2002 adoeceu e vai de urgência para o hospital de Santiago do Cacém.
Depois é internado num lar de repouso “ Vila Marya “ em Palmela, esteve sempre consciente até a sua morte , em 21 de Junho de 2005.

Era solteiro e não tinha filhos. Deixou em testamento a sua biblioteca, o museu e obras de arte à C.M.S deixando os bens imóveis e bens pessoais aos familiares .

20-01-2006
José Manuel s. cavalinhos



- Dr. José Miguel Costa, foi o fundador , organizador e director do Museu Arq. Municipal de Sines ( 1962 )
- Fundador e organizador da Biblioteca Pública Municipal de Sines (1945 )
- Sócio do Instituto Português de Arqueologia , História e Etnografia
- Sócio da Associação de Arqueólogos portugueses
- Sócio do Grupo de Amigos do Museu de Arte Antiga
- Sócio do Grupo de Amigos do Museu Municipal Dr. Santos Rocha ( Figueira da Foz )
- Fundador e organizador do Grupo dos Amigos do Museu de Sines ( 1969 – 1972 )
- Sócio do Centro Português de Actividades subaquáticas
- Colaborou nas II jornadas Arqueológicas da Associação dos Arqueólogos Portugueses
- Organizou a série de palestras e exposições comemorativas do décimo aniversário do Museu de Sines ( 27 de Fevereiro de 1972 a 29 de Setembro de 1973 )
- Organizou uma exposição 1870- 1970
- Publicou uma separata sobre o tesouro do Gaio e fez várias palestras no Museu Nacional de Arqueologia
- Organizou várias exposições na comemoração do 20 º aniversário do Museu Arqueológico de Sines :
• Exposição sobre artesanato e etnografia de Sines
• Retrospectiva sobre o pintor Emerico Nunes
-Publicou com o Arqueólogo Dias Diogo e Encarnação uma separata sobre as
Ânforas de Sines e o forno de Olaria
- Em 1988 fez uma exposição Documental sobre “ Vasco da Gama “
- Organizou nos anos 90, 2 exposições que ficaram permanentes no Museu :
• Exposição de História Natural
• Exposição de Numismática
(ambas as exposições foram realizadas com espólio que ele foi coleccionando desde Jovem)
- Sócio do Clube Náutico de Sines
- Sócio da sociedade Recreativa Sineense
- Sócio da Sociedade Filarmónica de Sines
- Sócio do Vasco da Gama Atlético Clube
- Sócio dos B.V.S
- Sócio da A .P.O.M


Recolha biogréfica e texto de José Manuel S. Cavalinhos (Técnico de Museografia).

quinta-feira, 29 de abril de 2010

André Batista, mais um Siniense a pedir Palco Maior








Abate de pinheiros no parque de Merendas

A CM de Sines está a proceder ao abate de pinheiros mortos e doentes no Parque de Merendas, na zona poente da cidade, junto ao Parque de Campismo e no pinhal junto à Albergaria D.Vasco.

Os pinheiros abatidos estão afectados por uma praga de insectos que, à semelhança do nemátodo, leva à morte do pinheiro, sendo urgente o abate de todos os exemplares secos e dos que começam a apresentar sintomas da doença.

A operação, que prevê o abate de 180 pinheiros, está a cargo de uma empresa registada na Autoridade Nacional Florestal e foi autorizada pela Unidade de Gestão Florestal do Alentejo Litoral da Autoridade Nacional Florestal que, após uma visita ao local, decidiu pelo abate e eliminação dos seus sobrantes.

Existem estudos que dizem que na sequência de abate de pinheiros nascem urbanizações. No local em concreto sabemos por experiência anterior que os pinheiros já não crescem naquele local.

Repsol

Repsol mantém incerteza sobre investimento em Sines
A petrolífera espanhola Repsol mantém a incerteza sobre o investimento de 750 milhões de euros que tinha previsto para o complexo petroquímico em Sines, indicando, na apresentação de resultados do primeiro trimestre e da estratégia para 2014, que se trata de um projecto em reavaliação.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Mossines - Problema adiado

Cimpor Adia problema para Agosto
Mais informação

28 de Abril - Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho

O estabelecimento de um dia consagrado à memória das vítimas de acidentes de trabalho e doenças profissionais e à reflexão sobre as questões da segurança e saúde no trabalho é sem dúvida de extrema importância, mas não basta. A verdade é que o número de homens e mulheres que perdem a vida no trabalho ou por causa do trabalho continua a ser excessivo, havendo ainda que contar o número daqueles que ficam totalmente incapacitados ou com graves sequelas para toda a vida. É preciso sensibilizar todos os intervenientes no mundo do trabalho, no sentido de serem criados locais de trabalho saudáveis e seguros, que contribuam para a dignificação de todos os trabalhadores.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Afinal pode ser sempre pior

Tive hoje acesso ao relatório de Gestão da CMS, referente ao 1.º Trimestre de 2010.
O facto de terem ultrapassado os limites de endividamento e o períiodo eleitoral já ir longe, poderia fazer supor que iríamos entrar em contenção. Nada mais errado.

O endividamento global continua a aumentar, em 3 meses mais € 40.896, sendo em 31.03.2010 de € 28.264.117. Este aumento foi feito à custo do curto prazo, porque em relação ao longo prazo, o principal opositor da "gestão autárquica" Siniense - o Tribunal de Contas não permite mais devaneios.

Mas prevejo reduções "forçadas", o empréstimo de curto prazo encontra-se em € 700.000, não podendo ser transformado em longo prazo, devido às forças de bloqueio - ai se não existisse tribunal de contas - terá de ser liquidado no seu vencimento. Como não sei, mas utilizando a linguagem económica, não sendo os recursos infinitamente elásticos, sendo estes alocado a um fim, não o poderão ser a outro. Elementar.

Socrates novamente em Sines

Segundo fonte normalmente bem Informada, Sócrates desloca-se a Sines novamente quarta-feira dia 28, mais concretamente à refinaria da Galp.
O Horário da visita está confirmado para as 11H30.
Não sendo intenção interferir na liberdade de circulação de qualquer cidadão, e a manter-se a confirmação da visita, vem inaugurar o quê? Ou haverá algum acto eleitoral que os cidadãos desconhecem?

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Pior, é difícil

Fez dia 27 de Janeiro um ano que Manuel Coelho anunciou oficialmente o seu afastamento do PCP, e dia 20 Janeiro de 2010, 100 dias do governo local de Manuel Coelho, liberto das grilhetas politicas, que pretendia desta forma, nas suas palavras, "sentir livre" para poder "agir politicamente" de acordo com a sua visão e "convicções"

Poucos se terão lembrado destas datas, ou fizeram um reflexão? Porque de objectivo pouco ou nada aconteceu, nem em termos de execução de politicas, nem no plano das ideias. Haverá alguém capaz de recordar uma ou duas iniciativa de quaiquel dos vereadores deste executivo. Resta a certeza tantas vezes aqui denunciada, que tratou-se de mudar tudo, para ficar tudo igual. Manuel Coelho e o executivo no poder, ontem;comunista, hoje independentes, amanhã quiçá socialistas. Tendo como linha condutora o poder, sempre o poder.

Mas o que vale afinal a gestão deste autarca independente, que andou 2009 em campanha prometendo, projectando e idealizando até à fantasia? O que fazia enquanto pedia o nosso voto? De acordo com a prestação de contas de 2009:

Aumentou as  despesas de pessoal em mais de € 1.300.000, durante o ano de 2009, atingindo o montante total de € 8.845.398. Este aumento significa qualquer coisa como o suficiente para 200 pessoas ganharem o salário mínimo nacional durante um ano;

Aumentou o passivo (o passivo de uma entidade corresponde ao somatório de todas as obrigações que essa instituição possui para com terceiros) em € 6.394.000

Aumentou o endividamento em 5.127.000, mais 22% em relação ao ano anterior, atingindo o montante recorde de € 28.223.220. Ou seja cada siniense deve mais de € 2.000;

Alcançou um resultado do exercício negativo de € 3.480.504, marca nunca igualada anteriormente;

Ultrapassou o limites de endividamento de médio e longo prazo e o limite de endividamento liquido, previstos na Lei das Finanças Locais, em € 3.709.000 e € 3.028.000, respectivamente.

Mas se isto é aterrador, o futuro próximo promete piorar:

Ultrapassados os limites de endividamento duvido que o Tribunal de Contas autorize a contratação de empréstimo bancário para honrar o contrato promessa de compra e venda do antigo edifício dos CTT. De acordo com a legislação em vigor o promitente-comprador faltoso perderá o sinal que tenha entregue ao vendedor.


Depois temos para breve o inicio do pagamento do PREDE, umas centenas de milhares de euros.

E sempre, todos os meses os vencimentos e encargos correspondentes, sendo que brevemente, como o subsídios de férias, será quase a dobrar.

Prevejo um final longamente triste para toda esta "aventura". Não sei qual a acção e/ou omissão da oposição e do Movimento SIM neste caos, ou até se terá conhecimento.

Para já estamos nas mãos do Tribunal de Contas, que se bem se recordam já nos salvou da antecipação das rendas do Fundo Térmico.

No dia em que os nossos netos nos perguntarem o que andámos a fazer, como permitimos e aceitámos tudo isto, eu mostro-lhes a Estação de Sines. E você?

O Endividamento da Autarquia - Eu sabia, quase todos sabiamos

O "Programa para a Regularização Extraordinária de Dívidas do Estado", como o próprio nome indica não é um programa de regularização do endividamento, mas das dívidas.

A dívida da autarquia não se reduz, é apenas transferida da rubrica de fornecedores para a banca e o Estado.


Comentário da minha autoria no blog do Movimento SIM, em 17.09.2009
__________________

Em 2009 o município de Sines viu aprovada a candidatura ao “Programa de Regularização Extraordinária de Dívidas do Estado” criado pelo governo com o objectivo de garantir os pagamentos a credores privados das dívidas vencidas dos serviços e dos organismos da administração directa e indirecta do Estado.


Para contrapor a opinião daqueles que acreditavam, ou pior pretendiam que outros acreditassem, várias vezes referi aqui na Estação, que o PREDE não reduziria a dívida, mas antes trata de uma operação financeira que permite transformar a dívida de curto prazo, em médio/longo prazo. Deste modo a divida global, não só se manterá como tenderá a agravar, em virtude de um mecanismo de mercado que leva os fornecedores ao verem as suas dívidas saldadas concederão novos créditos à autarquia.


Do ponto de vista politico, lamento a tentativa de elementos com responsabilidades autárquicas e politicas de tentar passar a mensagem que as dividas da autarquia se resolveriam com recurso a este programa, quando se sabe que as dívidas paga com novo endividamento não se reduz este, mas apenas se adia e de com este Programa o Governo voltar a demonstrar que incumprir compensa. Beneficia as autarquias incumpridoras com financiamento parcial a taxa de juro 0% - que os nossos impostos pagarão -, esquecendo as autarquias que cumprem os prazos de pagamento por boa gestão ou que se endividaram a taxas de juro de mercado para cumprir prazos de pagamento. 

Blog Estação de Sines 25.12.2009

__________________
Relatório da Prestação de Contas 2009

"Analisando o endividamento numa perspectiva global verifica-se que entre a gerência de 2008 e a
gerência de 2009 houve um aumento de 22%".

endividamento curto prazo
2008: € 15.308.376
2009: € 10.510.910

endividamento médio/longo prazo
2008: € 7.787.146
2009: € 17.712.311

endividamento Global
2008: € 23.045.522
2009: € 28.223.221

Contas da autarquia 2009

Tive hoje o primeiro contacto com o aterrador documento de contas de 2009 da autarquia de Sines, enquanto preparo o post, deixo-vos com a análise ao orçamento de 2009, que então publiquei neste espaço. Por vezes é tão aborrecido ter razão.

"À excepção do valor orçamentado de 49,2 milhões (maior de sempre), e dos projectos para o próximo ano, concurso e início da construção da Cidade Desportiva de Sines, novas escolas básicas e pré-escolas, conclusão da revisão do Plano Director Municipal (PDM), iniciativas de regeneração urbana no centro histórico ou o lançamento do Museu do Mar e dos Descobrimentos, nada mais conheço do referido orçamento. A previsibilidade de uma maioria que se eterniza, o repetido jogo político e a redução de um dos mais importantes instrumentos de gestão, o orçamento, a um mero acto administrativo e de cumprimento legal obrigatório, dispensam mais conhecimento que a experiência de anos anteriores.

Em 2009, estaremos na presença de duas forças que contribuirão em simultâneo para aumentar o défice autárquico. Por um lado, o ano eleitoral, - que no léxico político, conjuga-se com mais gastos-, por outro, temos uma crise financeira que encarece o preço do dinheiro (juros) e económica que encarece o preços dos bens e desvaloriza os activos, no casos os terrenos, fonte de receita significativa da autarquia.

Em ano de eleições empola-se, ainda mais, o orçamento Municipal, pois terão que caber lá todas as obras e promessas da futura (permanente) campanha, a seguir arranja-se receitas, porque desgraçadamente no orçamento o deve tem que ser igual ao haver.

É do mais elementar conhecimento que quando se gasta mais do que se recebe, gera-se défice e endividamento, ou aos prestadores de serviços/fornecedores ou à Banca, e o défice de hoje será pago pelos nossos impostos de amanhã.

Como sair deste labirinto? Contenção de custos, rigor na despesa, adiar investimentos não essenciais (cultura e lazer) manter os essenciais (manutenção de equipamentos, estradas, escolas, etc,), reforço da componente de apoio social.

Prescindir do acessório, para manter o essencial, será assim o ano de 2009, para a maior parte das famílias e empresas e assim deveria ser para a Autarquia de Sines."

domingo, 25 de abril de 2010

IEFP. Queremos novidades!

O CDS vai pedir a presença da ministra do Trabalho e da Solidariedade Social na Assembleia da República para explicar o que se passa no IEFP, que nomeou dirigentes sem recorrer a concurso público.
O líder parlamentar do CDS, Pedro Mota Soares, avançou este Sábado à agência Lusa que o partido «vai chamar com carácter obrigatório e de urgência a ministra do Trabalho ao Parlamento para que dê uma explicação aos portugueses sobre o que se está a passar no Instituto do Emprego e Formação Profissional» (IEFP).

O CDS pretende esclarecimentos sobre informações que indicam que, «pelo menos em 131 situações, mas que podem ir quase até às 600, o instituto do emprego está a fazer uma fraude à lei».

Actualmente, segundo o deputado, «todas as chefias intermédias do Estado devem ser contratadas através de concurso público» e «a verdade é que no Instituto do Emprego, ao contrário do que a lei obriga, os dirigentes intermédios estão a ser nomeados directamente, sem concurso público, através de um mecanismo que levanta muitas dúvidas, o regime de substituição».

O líder parlamentar do CDS acrescenta outra crítica à actuação do IEFP relacionada com a ligação destes nomeados a um partido político.

«Em todas as situações em que os nomeados têm no seu currículo alguma ligação partidária essa ligação é curiosamente a um partido, o Partido Socialista», disse.

Este CDS é um enfado, uma verdadeira maçada. Tragam novidades para redundâncias bastam os escandalos na justiça e no futebol. Queremos novidades!!

Fim de festa?

A autarquia insiste no autismo financeiro, atravessando uma crise financeira ímpar, lança um concurso para admissão de director-financeiro (€ 2.800 euros), ao invés de utilizar os quadros superiores que dispõe.

Ou muito me engano, ou é mais um sinal de "fim de festa"

Em Odemira existe Abril Sempre

A hesitação durou pouco. Entre Odemira e Grândola, entre Virgem Suta e Blind Zero e Deolinda, vingou a primeira opção, pela diversidade da oferta e pelos amigos que iria encontrar. Motivos mais que suficientes para aguardar uma boa noite, sem instabilidades

De resto tudo sem surpresas, estrada sem buracos a partir do momento que se entrar no Concelho de Odemira, já em Odemira umas dezenas de GNR a auxiliar o trânsito e estacionamento, terra limpa e arrumada, rotundas  decoradas, ruas sem buracos nem pedras, passeios largos e desempedidos, espectáculo ao ar livre, etc. Nada de extraordinário para quem gere a sua terra com orgulho.

Em Odemira existe Abril.

Quanto às comemorações na nossa terra deixo os comentário para quem apoiou e apoia (???) quem decide os destinos desta azarada povoação.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Instabilidade Financeira

"Devido à instabilidade climatérica, a Câmara Municipal de Sines decidiu mudar o local de realização do concerto do grupo Baile Popular, na Noite da Liberdade, 24 de Abril, transferindo-o da Avenida Vasco da Gama para o Auditório do Centro de Artes de Sines."

Site da CMS 


Como não sou fácil de convencer quando estou desconfiado, consultei os sites de meteorologia,

WindGURU
AccuWeather
Instituto de Meteorologia de Portugal


e em nenhum deles se prevê a mais pequena gota de chuva ou outras condições climatéricas adversas ao ponto de impossibilitarem o espectáculo na avenida. o que me leva a concluir que a instabilidade será doutra ordem que não atmosférica.

Duas sugestões para ver um espectáculo ao vivo, ao ar livre, sem restrições de espaço nem instabilidades atmosféricas:


Odemira: Virgem Suta e Blind Zero
Grândola: Deolinda

Quanto ao espectáculo de Sines e ao CAS, façam bom uso deles, que muito dinheiro custou dos nossos impostos, para alguns (poucos) usufruírem.

mais que revoltante, chocante

Uma parceria estratégica composta pelas Câmaras Municipais de Sines, Alcácer do Sal, Grândola, Odemira, Santiago do Cacém (município-líder), CIMAL - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral e a AREAL - Associação de Resorts do Alentejo Litoral assinarão um protocolo de financiamento para a implementação do Programa Estratégico com o Código 84, apresentado pela Rede Urbana “Mobilidade, Inovação e Memória - Rede de Cidades do Litoral Alentejano” e aprovado no âmbito do Eixo Prioritário 2 do QREN 2007-2013, pela Comissão Directiva do INALENTEJO.


Os projectos desta candidatura intermunicipal têm um valor total de 7 milhões 553 mil e 236 euros, com uma taxa de comparticipação média de 46,34%, o que equivale a 3 milhões 500 mil e 280 euros, distribuídos de forma equitativa pelas entidades.


A candidatura intermunicipal congrega vários projectos de desenvolvimento cultural e patrimonial, de requalificação urbanística e de desenvolvimento de acessibilidades.

No caso de Sines, os projectos de investimento são a Escola das Artes de Sines (investimento elegível de 1,07 milhões de euros e comparticipação FEDER de 321 mil euros - 30%) e o FMM - Festival Músicas do Mundo (investimento elegível de 850 mil euros e comparticipação FEDER de 255 mil euros – 30%).


Esta candidatura intermunicipal tem vários projectos de investimento que envolvem o desenvolvimento cultural e patrimonial, a requalificação urbanística e o desenvolvimento de acessibilidades.

A Câmara Municipal de Santiago do Cacém entidade líder da Parceria Estratégica, o projecto do município passa pela requalificação da Estrada de Santa Cruz, no acesso norte à cidade de Santiago do Cacém. Uma obra no valor de um milhão de euros, com uma taxa de comparticipação do FEDER de 55%, no valor de 550.000,00€.

É mesmo à medida

Devido à instabilidade climatérica (???), a Câmara Municipal de Sines mudou o local de realização do concerto da noite 24 de Abril, da Avenida Vasco da Gama para o Auditório do Centro de Artes de Sines.

Ou a assistência esperada na Avenida era parca ou dos que pretendiam ver o concerto poucos serão os contemplados. Mas uma certeza fica, apesar dos muitos milhões gastos em obras de arquitectura premiada Sines continua a não dispor de um espaço coberto para a realização de espectáculos de média dimensão.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Vasco derrotado em Sines

Onze titular frente ao Trafaria

Depois da derrota em Palmela na jornada anterior, domingo recebemos o Trafaria em jogo da 28ª jornada e voltamos a perder. Após o excelente ciclo de nove vitórias consecutivas no campeonato a derrota em Palmela na semana passada foi duro golpe nas nossas aspirações rumo à subida, que deixou marcas numa equipa com o hábito de ganhar e com o sonho da subida bem vivo no nosso balneário.

Recebemos o Trafaria, equipa sem nada a perder ou a ganhar, que num tranquilo 7º lugar, veio a Sines mostrar a boa equipa que tem com uma grande organização defensiva e um ataque apostado em surpreender no contra-ataque rápido. Primeira parte muito equilibrada onde as duas equipas tentaram sempre chegar ao golo, tendo nós desperdiçado três claras ocasiões de golo que nos viriam a custar caro já que o Trafaria aproveitou a única ocasião clara que dispôs e fez o 0-1 com que chegámos ao intervalo.

Na segunda parte e a perder em nossa casa tivemos que melhorar para dar a volta ao resultado, estivemos muito melhores e o equilíbrio existente na primeira parte ficou nos balneários. Mais posse de bola e mais ataques continuados não deixaram o Trafaria ter tanta bola na segunda parte, mas o factor decisivo mantinha-se, continuávamos a desperdiçar golos sucessivos. O mister foi fazendo alterações no segundo tempo de modo a alargar a frente de ataque para obrigar a defesa do Trafaria a abrir o seu 'muro' de muitos defesas junto à baliza, nem as alterações mudaram a nossa ineficácia até final do jogo. O nosso adversário acabou a por ser feliz já perto do minuto noventa ao fazer o 0-2 através de um livre lateral desviado antes de chegar ao nosso guarda-redes que nada poderia fazer.

Penso que fizemos o suficiente em termos de atitude e qualidade de jogo para ganhar, o resultado não espelha o que ambas as equipas fizeram durante o jogo todo. Parabéns ao Trafaria pela vitória e pela sua postura em todo o jogo onde privilegiaram sempre jogar bom futebol e foram premiados.

Domingo, dia 25 de Abril às 16h jogamos em Alfarim na penúltima jornada do campeonato, desta jornada pode sair o novo campeão do campeonato já que em Sesimbra há jogo grande entre o Sesimbra e o Olímpico Montijo.

Opções

Ao que parece o futuro campo relvado sintético, no Estádio Municipal, não terá as dimensões oficiais necessárias para ser homologado e utilizado em competições oficiais, ou seja fica limitado a campo de treinos e eventualmente a umas brincadeiras dos veteranos.

A ser verdade teremos a repetição do pavilhão dos desportos em que a altura não permite a prática de voleibol, e em cuja remodelação - forçada pelo temporal - repetiu-se o erro, ou a futura oportunidade perdida na Cidade Desportiva, de por mais duas vias, termos uma pista de atletismo que permita competições nacionais, ao invés da prevista que se fica pelos regionais.

Os filhos são muitos e a mãe é gulosa

Atarefado com afazeres profissionais, desportivos, familiares e ainda a inauguração do Infantário a aproximar-se e a Santa Casa a pedira cada vez maior envolvimento, tenho andado relativamente arredado deste espaço e dos acontecimentos das Cidade, onde por acaso acontece cada vez menos.

Hoje numa nesga de tempo disponível, resolvo por em dia "notícias da minha terra", consulto uns blogues, vejo uns sites, faço uns telefonemas, mando uns mails, etc. Das respostas, o habitual, queixas, lamentos, desmandos, promessas não cumpridas, e muita, muita falta de dinheiro.

No final de tudo, a surpresa da memória. É absolutamente incrível, como nos lembramos de coisas, que pareciam estar para sempre esquecidas. Então não é que no rescaldo do caldeamento das notícias me veio à memória a velhota cigana, que julgava esquecida para sempre.

A pobre coitada pedia à porta da Universidade de mãos estendia enquanto repetia, vezes sem conta: "Senhor uma esmolinha que os filhos são muitos e a mãe é gulosa".

Mas por raios me haveria de lembrar de tal?!

quarta-feira, 21 de abril de 2010

PO-PNSACV

A Câmara Municipal de Sines aprovou, por unanimidade, um parecer desfavorável à proposta de Plano de Ordenamento (PO) do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV). O seu parecer consubstancia-se basicamente em 4 aspectos:

Limitações às artes das pescas
«Acrescente-se ainda os impactes sociais que estas medidas terão nas comunidades piscatórias de todo o Litoral Alentejano, conduzindo ao desemprego centenas de pescadores, pois a pouca rentabilidade da sua actividade, agora já perceptível, agravar-se-á com as limitações ao uso de determinadas artes, o que não irá cobrir os seus custos (manutenção das embarcações/combustível)»


interdição da existência de campos de golfe
A autarquia considera a prática da modalidade “uma oportunidade de implementar as melhores práticas ambientais , em respeito pelos valores naturais”.


Forte do Pessegueiro
Que considera estranha a proposta do ICNB para um programa funcional do Forte do Pessegueiro, «não sendo o seu proprietário, ainda mais quando a proposta em causa não permite qualquer uso turístico».

Apoios agrícolas
Ao nível do edificado, a autarquia considera «irrealista» a definição de 30 m2 de área bruta de construção máxima para edificações de apoio às actividades agrícolas, florestais ou pecuárias, defendendo que tal área «não permite colocar uma alfaia agrícola com tractor e muito menos para servir de armazenamento aos produtos».

A este propósito consulte no portal do ICNB, a acta da reunião de 9 de Julho de 2009, de concertação com entre o ICNB e a CMS, estando em representação da nossa autarquia, Dr. Manuel Coelho, Eng.º Pedro MArtins e o Dr Ferreira da Costa (???), que esclarece muitas das questões.  

Nota de imprensa - Resultados I Etapa Circuito do Alentejo 2010

1ª Etapa

COSTAZUL SURF ALENTEJO 2010

17/18 de Abril - São Torpes, Picoloco


O Sines Surf Clube organizou no passado fim-de-semana a 1ª etapa Costazul/Polen do Circuito do Sines Surf Clube/Rip Curl 2010, na praia de São Torpes.

A participação de mais de 100 atletas na prova, as Expression session Kalux Surf e Phoenix Bodyboard, a colaboração do Lar de rapazes “A Âncora”, a parede de escalada Natura, a demonstração da Street Surfing e o Meeting do núcleo de Surf de Sines, do Agrupamento Vertical de Escolas de Sines, no âmbito do Desporto escolar, foram factores que em muito contribuíram para o sucesso da prova e para um fim-de-semana de grande actividade em São Torpes.

A prova contou com atletas oriundos de diversos pontos do País, nomeadamente Algarve, Sesimbra, Grande Lisboa, Porto, e todo o Litoral Alentejano.

As condições não foram as melhores no sábado com ondulação de cerca de 1 metro e algum vento. No Domingo, com as meias-finais e finais por realizar, a parte da manhã com pouco vento e ondulação a rondar o metro e meio, o nível dos atletas subiu bastante e tivemos bons momentos de Surf.

A muita juventude na praia revelou atletas que garantem o futuro e desenvolvimento da modalidade pois o nível é cada vez mais elevado em jovens cada vez mais novos.

Luis Bajolo no Bodyboard e Edu Oliveira no Surf, venceram as Expression session’s que avalia a manobra mais radical e ousada.

No Longboard o estreante no Circuito Nuno Fazenda foi o melhor mas Nelson Louzeiro, campeão 2009, com uns bons curvings por pouco não repetia a vitória do ano passado.

No Bodyboard, era muitos os possíveis finalistas, ficando grandes valores pelo caminho, como é o caso do Marco Santos (4º no Circuito Algarve). Com a final quase sempre discutida entre o Duarte, Bajolo e Kinzinho, o Duarte adaptou-se melhor às condições do mar e soube manobrar para pontuar, aliado a uma boa escolha das ondas.

No Surf sub-12, nova categoria, muitos atletas a surpreenderem pela “coragem” que demonstram com ondas grandes e difíceis condições do mar. Ver atletas com 8 anos acabados de fazer a irem cheios de “pica”para o mar é formidável. O Simão Teixeira foi mais consistente e apresentou as 2 melhores ondas muito embora os locais Vasco, Mateus e Rafael tenham também apresentado manobras de boa verticalidade e a mostrarem que o Surf Alentejano será conhecido.

O vencedor no Surf Sub-16, Basile Belime, com 15 anos, continua a evoluir o seu surf muito fluído mas de grande power e manobras de grande nível. Mesmo com o mar difícil encontra as ondas certas para pontuar. O Santi, ele próprio surpreendido pelo excelente resultado dada a sua idade, revela já um surf muito personalizado, batendo o Mateus, presença assídua nas finais.

A Cláudia Santos, sinieense, 15 anos, sócia SSC nº 79, campeã alentejana 2009, também revela treino e uma cada vez maior experiência competitiva. È também uma atleta agressiva, tecnicamente evoluída e que revela inteligência na escolha das melhores ondas, sendo uma justa vencedora no Surf Feminino. A Cláudia, Carolina, Rita e Mariana são o futuro do Surf e são parte da equipa que estará no Billabong girls no Estoril.

A final do Surf Open muito disputada, entre o Manuel João, Kalú , Serafim e Filipe Jervis foi ganha pelo último. Numa final espectacular, o Filipe mostrou manobras com muito power e muito tail á mistura e um nível competitivo elevado. No entanto os amigos Manel João e Kalú tinham uma diferença pontual mínima para com este em que uma onda poderia reverter a vitória em seu favor. Excelentes 25 minutos de Surf de todos os finalistas.

RESULTADOS:

EXPRESSION SESSION BODYBOARD

1º Lugar: : LUIS FILIPE BAJOLO
2º Lugar: : JOAQUIM SILVA
3º Lugar: ANDRE GONÇALINHO

EXPRESSION SESSION SURF

1º Lugar: EDUARDO OLIVEIRA
2º Lugar: BASILE BELIME
3º Lugar: LEO BELIME



LONGBOARD

1º Lugar :NUNO FAZENDA
2º Lugar :NELSON LOUZEIRO
3º Lugar: RAFAEL ROITMAN POZZAT

4ºLugar:TIAGO ESTANISLAU

BODYBOARD

1º Lugar: DUARTE SANTOS
2º Lugar: LUIS FILIPE BAJOLO
3º Lugar: JOAQUIM SILVA
4º Lugar: FABIO GLORIA

SURF SUB 12

1º Lugar: SIMAO PINA TEIXEIRA
2º Lugar: VASCO MONICA
3º Lugar: MATEUS BELEZA
4º Lugar: RAFAEL BRANCA

SURF SUB-16

1ºLugar: BASILE
2º Lugar: SANTIAGO BELEZA
3ºLugar: MATEUS CUNHA REGO
4ºLugar: PEDRO MIGUEL COELHO

SURF FEMININO

1ºLugar:CLAUDIA SANTOS
2ºLugar:RITA CANTINHO
3ºLugar:CAROLINA QUEIRÓS
4ºLugar:MARIANA FONSECA

SURF OPEN

1º Lugar: FILIPE JERVIS
2º Lugar: MANEL JOAO
3º Lugar: KALU OLIVEIRA
4º Lugar: SERAFIM ALZEZUR

MUITOS PARABÉNS A TODOS.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Divulgação: nota de imprensa

SINDICATO DOS TRABALHADORES DAS INDÚSTRIAS DE CERÂMICA, CIMENTOS E SIMILARES
DO SUL E REGIÕES AUTÓNOMAS


NOTA DE IMPRENSA

CIMPOR TEM DE DIALOGAR!


A decisão de desactivação ou encerramento da MOAGEM DE SINES, por parte da CIMPOR, a concretizar-se, no final deste mês, é uma medida que trará consequências muito negativas para os respectivos trabalhadores.

A única “alternativa” apresentada pela empresa é a mudança de local de trabalho de Sines para Loulé, a mais de 150 km, o que inviabilizaria o regresso diário a casa e contribuiria para a total desarticulação entre a vida profissional e familiar dos trabalhadores.

A Moagem de Sines representou um investimento de 37 milhões de euros em 2003 e ameaça fechar as portas, 7 anos depois, agravando a situação económica e social da região, pela consequente liquidação de indústria e perda de emprego, reflectida directamente em mais de duas dezenas de famílias.

A CIMPOR não é uma empresa qualquer em situação económica difícil; bem pelo contrário: atingiu 237 milhões de euros de lucros em 2009, o que representa um aumento de 8% em relação a 2008.

A Comissão de Trabalhadores da empresa não foi consultada previamente, contrariamente ao previsto na lei e reclama uma reunião urgente com a Administração, de forma a defender o emprego e os direitos em causa.

Os trabalhadores continuam a aguardar respostas e esclarecimentos que tardam, da parte da Administração.

Onde fica a responsabilidade social da CIMPOR? À porta?
Exige-se diálogo efectivo!

Caso a CIMPOR persista no seu silêncio, os trabalhadores, o Sindicato e a CT tomarão as medidas e acções de luta necessárias, para além das iniciativas em curso, junto do Governo Civil de Setúbal, da Câmara Municipal de Sines e da Autoridade para as Condições de Trabalho.


Lisboa, 19/04/2010
A DIRECÇÃO

Contacto (dirigente sindical): 91 61 88 523

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Declaração voto CDU

Na reunião de Câmara Municipal de 15-4-10 apreciaram-se as contas municipais do ano de 2009.
O endividamento total subiu de 23 para 28,2 milhões de euros, mais 22,2% que em 2008, ultrapassando os limites legais no endividamento de
médio e longo prazo e no endividamento líquido, o que terá graves repercussões nos próximos anos.
Seria expectável que a crise financeira nacional tivesse como consequência a redução das receitas correntes municipais o que
obrigaria a uma grande vigilância na despesa corrente para que esta se mantivesse ao nível do ano anterior. Foi o descalabro total. A receita
corrente desceu de 18,3 para 16,2 milhões de euros, ao passo que a despesa corrente subiu de 16,4 para 19,9 milhões de euros, mais 21%
que em 2009. Só as despesas com pessoal cresceram 14%, a aquisição de bens e serviços subiu 38% e as outras despesas correntes aumentaram
57% entre 2008 e 2009.

Para a CDU terão contribuído para estes resultados muitas despesas que pouco ou nada tiveram que ver com a execução normal do orçamento
municipal.
Perante o péssimo resultado da gerência de 2009 a CDU votou contra a aprovação das contas.

Francisco do Ó Pacheco

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Divulgação

Concerto Bossa em Si
     - viagem pela música brasileira - 
             17 de Abril. 22h00
   Biblioteca Municipal de Santo André
 
Atenção: A entrada é grátis para TODOS..... Venha beneficiar do bom que a nossa terra tem para nos oferecer. A Cultura é de Todos e para Todos.
 
A Direccção

quinta-feira, 15 de abril de 2010

PO-PNSACV

O Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) irá entregar, ao governo, no início do verão o Plano de Ordenamento e Gestão do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina (PO-PNSACV).

Até ao final do presente mês serão ouvidas várias associações, ligadas desde a pesca, agricultura, pecuária, turismo, caça, hotelaria, mas também com produtores florestais, organizações não governamentais, escolas de surf ou associações de lazer e caravanismo, para discutir em detalhe a revisão do documento.

O Plano de Ordenamento abrange quatro concelhos - Sines, Odemira, Aljezur e Vila do Bispo. No caso de Sines o PO-PNSACV prevê intervenções nas dunas de S. Torpes e intervenções para valorização do património cultural na Ilha do Pessegueiro.

Divulgação: Promo Nadador Salvador Junior 2009

Divulgação


1ª Etapa
COSTAZUL SURF ALENTEJO 2010
17/18 de Abril - Picoloco

CHECK-IN: 8H - 9H
A competição será nas modalidades de Surf, Longboard e Bodyboard, nos escalões Surf Open, Surf Feminino, Surf Sub-16, Surf Sub-12, Bodyboard e Longboard.
As inscrições deverão ser enviadas para sinessurfclube.inscricoes@gmail.com com nome completo, modalidade, escalão de competição e contactos (tlm, mail e morada), até ás 12 Horas do dia 16 de ABRIL de 2010. Só serão aceites as inscrições com todos os dados solicitados.
Dado que há mais modalidades a competir, a organização estabeleceu um limite de atletas por escalão de competição. O ranking será ordenado de acordo com a data de recepção das inscrições e no dia anterior á prova, anunciados os participantes efectivos.
É importante que todos procedam rapidamente às inscrições para assim garantirem o lugar na competição. As inscrições são de 10€ para sócios SSC (quotas em dia) e sócios das parcerias com clubes e 20€ para não sócios. Quota mensal SSC (1€).
Teremos ainda um Meeting dos Núcleos de Surf das Escolas de Sines e Odemira, no âmbito do Desporto Escolar, estruturas para Skate, parede de escalada Natura, o Praia Pro Futuro (limpeza de praia) e ainda:

 Kalux Surf Expression session
Phoenix Bodyboard Expression session
Street Surfing Demonstração

O surfista amador com melhor classificação no  ranking do Surf Open em Novembro, receberá o WILDCARD para participar na etapa do Campeonato NACIONAL de Surf (Liga PRO SURF), que decorrerá em São Torpes.
Pretendemos fazer um grande Circuito e esperamos poder com a V/ presença.

Contactos da organização:

Tlm: 933414808 / 914569399 / 919566911

CHECK-IN: 8H - 9H

quarta-feira, 14 de abril de 2010

De Sines

Já foi terra que deu muita e boa uva, mas hoje, parece que a parra cobre a cepa e não deixa a uva crescer.
E tudo fica na mesma, porque para podar não parece haver ninguém e os que dizem que o fazem, foram mal ensinados.
Mas não é de cepas nem de uvas que vive a nossa terra (sinto-a sempre mais minha quando estou com ela), é de mar e de peixe e do corpo de muitos.
Não sei se seria capaz de voltar a estar em Sines a tempo inteiro, pelo menos assim, com ela perdida e abandonada, refém do conformismo de alguns, presa pelo hábito de outros que lhe trazem tão pouca alegria. O sol brilha e ilumina-a e ela é sempre bonita, mesmo com as ruas moribundas e as encostas mal aparadas, mas são as pessoas que a fazem, são elas que lhe dão vida e ela vive tão pouco hoje em dia. Chega a dar dó um sitio assim tão mal acompanhado. Para os que querem ou podem é mais fácil sair e visitá-la de vez em quando, para os que ficam é mais fácil fechar os olhos e tomar como dela os defeitos de outros, no fundo, somos todos culpados.
Os capatazes que a regem, esses, vão de mal a pior. Antigamente vestiam-se de vermelho, contra tudo e contra todos, sem perceberem que contra ela também. Hoje um grupo de gente sem ideais, à mercê de um homem que vira para onde quer que o vento sopre, parecendo agora soprar para outros que de honra e de palavra nada parecem saber.
O presente nada de bom augura para o seu futuro, salvo raras excepções e pequenas pérolas que a destacam pontualmente das outras terras. Mas nada ganhamos com o pessimismo, por isso eu deixo-o para trás, porque escrevo numa dessas excepções, quem sabe uma pérola, sem saber o que fiz para merecer fazer parte dela. Vejo-a como um apeadeiro no qual já não passam comboios e que agora serve de palco aos que não têm voz e precisam de falar e ao que parece, até os seres mais inesperados a ela recorrem em altura de desespero. E ela aceita todos, de braços abertos e sorriso na cara, tal como a terra onde nasceu, erguida de frente para o mar, nas suas artérias sinuosas em que se perdeu, mas nas quais sei que se voltará a encontrar.

Esta é minha

Movimento lança concurso para as “7 Ex-Maravilhas Naturais de Portugal” - um projecto que pretende mostrar “o que a natureza nos deu e os portugueses estragaram”, segundo os responsáveis da iniciativa.


Quarteira, Sines, Rio Trancão ou Vila Franca de Xira são exemplos que os responsáveis pelo projecto já incluíram no site 7exmaravilhas.net, locais que consideram ser “exemplos do efeito nefasto da acção do Homem sobre o património natural”. O movimento decorre até dia 13 de Junho. Nesta data serão apresentadas as 13 ex-maravilhas que ficaram entre as finalistas. As sete vencedoras vão ser conhecidas a 7 de Setembro.

A foto de Sines, acompanhado da frase "Nado e criado em Sines há 33 anos, desde cedo percebi que a poluição era companheira de todas as horas", é minha. Não que reconheça todas as frases que escrevo, como é natural. Mas curiosamente recordo-me desta, e já lá vão 7 anos. Foi na extinta Grande Reportagem, ou no Expresso.

Visite o site e vote.

Vasco perde em Palmela

Tiago Sobral 'saltou' do banco e fez golo


Depois da paragem do campeonato devido à Pascoa, o campeonato voltou este Domingo com a 27ª jornada. Entrámos muito esperançados numa jornada muito proveitosa para nós com o objectivo de sempre, ganhar e esperar mais uma vez por um deslize dos primeiros classificados. O Sesimbra (1º) e o Amora (3º) tinham tal como nós deslocações difíceis, havia motivos para ter esperança em eventuais derrotas de ambos a juntar à nossa vitoria que contávamos confiantemente.


Todos estes cenários só fariam sentido, primeiro que tudo, se nós vencessemos o nosso jogo frente ao Palmelense que na jornada anterior tinha empatado no estádio do primeiro classificado, tínhamos esse jogo como um forte aviso sobre a capacidade do Palmelense.


Entrada forte da nossa parte, própria de quem queria resolver o jogo e provar porque éramos candidatos à subida de divisão. Instalados no meio campo adversário desde o primeiro minuto criamos varias ocasiões de golo que desperdiçamos, umas encontraram o guarda redes que resolveu bem e outras por ineficácia nossa. Aos 20 minutos é expulso um defesa do Palmelense após travar em falta o Daniel Direito que seguia isolado para a baliza, pensou-se que tínhamos a tarefa mais facilitada mas aconteceu o inesperado nos minutos a seguir á expulsão, o Palmelense aproveitou dois erros nossos e faz dois golos com menos um jogador. Ao intervalo perdíamos 2-0, o mister lançou para a segunda parte o Tiago Sobral para formar dupla com o Idi.


Na segunda parte e a ganhar por dois golos a equipa do Palmela defendeu como pode, abdicou completamente do ataque e apostou forte no anti-jogo onde tiveram sempre grande passividade do trio de arbitragem, ainda reduzimos com um golo de cabeça do Tiago mas não fomos a equipa serena como é costume para chegar ao empate. Neste jogo fomos postos á prova quanto á capacidade de superar provocações e um irritante anti-jogo sucessivo que em nada promove o futebol, talvez pela importância do jogo e de estarmos a perder não superamos estes factores que condicionam sempre. A juventude desta equipa pode também ter contribuído para algum nervosismo, mas esta juventude é a mesma que ganhava á 9 jogos seguidos e está em 4º lugar.


Após esta jornada as nossas aspirações complicaram-se ainda mais, matematicamente ainda é possível mas agora mais realistas e apostados em vencer os últimos três jogos para alcançar uma posição mais a cima.


Domingo, 18/04/2010 às 16h em Sines: Vasco da Gama vs Trafaria.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Querido Pai Natal

Querido Pai Natal,

Escrevo-te nesta altura do ano, sei que não é normal, mas queria informar-te que este ano, e talvez nos anos seguintes não te escreverei mais.

Pelo que sei é melhor fazê-lo ao FMM. Não para pedir trivialidades, como playstations para ganhar ao Benfica - parece que é a única forma, nem tenda para acampar no Parque de Campismo da Costa do Norte, nem bicicletas ou patins para andar nas ciclovias da nossa costa, nem raquetes de paddle para a nova cidade desportiva, não nada disso.

Vou pedir algo que dizem impossível, vou pedir que o FMM não tenha almoço de inauguração, nem fogo de artificio e que seja 3 suficientes dias em Sines e no Castelo.

Desta forma reparávamos as estradas e pagávamos o aluguer dos pavilhões, que nos serviriam o ano inteiro.

Para mais não é preciso portar-me bem durante o ano e olha que os artistas do FMM não vêm de rena, nem entram nas casas pelas chaminés.

Lamento Pai Natal, mas estás out.

Reconhecimento inter pares

O CENTRO NACIONAL de CULTURA está a divulgar as iniciativas do CCEN on-line, em e-cultura

O reconhecimento do CNC pela actividade do CCEN, é um louvor e um reconhecimento digno de nota.

Tenho uma especial admiração por esta instituição, pela qualidade e consistência do trabalho desenvolvido, pela sua história, mas principalmente pela sua resistência aos senhores da Cultura.

Se já não é fácil "arrancar" a cultura da centralização na capital, imaginem fazê-lo lutando com a canibalização do poder local, e com mérito e louvor reconhecido e envolvendo os cidadãos.

Isto sim, é obra.

Bastidores

Enquanto nos matemos distraídos e ocupados com a nossa vida, tentando sobreviver a gestões danosas, PEC, aumentos cobustíveis, assistindo a prémios de desempenho monstruosos, etc, as peças politicas continuam a movimentar-se no tabuleiro da política.

Manuel Coelho, apresentado como troféu de caça do PS, na conquista do distrito ao PCP, é aplaudidio de pé, num encontro partidário em Setúbal, entretanto realizam-se encontros em SInes entre figuras de destaques do PS distrital e gente do Manuel Coelho.

A única boa nova em tudo isto é que até onde sei, a Concelhia de Sines do PS não tem surgido envolvida nesta mesquinhez do poder pelo poder.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Divulgação: Andebol Clube de Sines

Nota de desagrado da Direcção do Andebol Clube de Sines

Como associação sem fins lucrativos que é o ACS deparou-se com a necessidade de “falar”. Tem sido um acumular de “não justificações muito graves” que leva a este clube comunicar a todos os leitores deste blogue a sua frustração pelas situações ocorridas.
Sendo um clube que tem cerca de 120 atletas, representados em 8 escalões, dos quais a aposta sempre tem sido a formação onde jovens desde os 7 anos começam a disputar a modalidade.
Temo-nos vindo a deparar com várias barreiras que nos impedem de seguir em frente no caminho da evolução tanto de atletas como de clube. Dentro desses problemas deparámo-nos com a ausência de subsídio da Autarquia que já vem em falta faz 10 meses. Estando em competições constantes todos os fins-de-semana, ter de prestar contas à Federação de Andebol de Portugal (árbitros, seguros, inscrições), pagar policiamentos nos jogos em casa e tratar convenientemente de uma refeição meritória para os atletas que tem de se deslocar para os jogos fora. Isso tudo nesses 10 meses sem o devido auxílio financeiro vindo da Autarquia.
A gota de água deve-se à nossa perplexidade com o deparado a quando esta segunda-feira (12/04/2010) a equipa de infantis, que está a disputar o Campeonato Nacional de Andebol, ia treinar como todas as 2ª, 4ª e 6ªs o faz no Pavilhão da Escola e qual não foi o espanto quando nos foi informado por uma funcionária da Escola que não podíamos treinar porque existiam verbas em atraso da parte da Câmara para com a Instituição. Os atletas foram proibidos de treinar na “sua” Terra por divergências alheias e sem algum comunicado da parte da Câmara que ocultou tudo isto. Expressamos também a nossa preocupação para com o futuro, devido a termos mais escalões que somente treinam nesse espaço.

Estas são ocorrências graves que faltam ao respeito para quem trabalha e luta com ideais e pensamentos que pelos vistos não são reais com a situação passada nesta cidade.

Devem os leitores compreender a nossa frustração e esforço enorme para que os treinadores e os atletas não tenham de sofrer com tudo isto. O ACS viu-se assim forçado a falar para com o público em geral.

O ACS anseia e deseja melhores dias para o desporto Sineense.

No país das maravilhas

Imaginemos uma autarquia que não investe em equipamentos desportivos há mais de 20 anos. Como forma de obviar a esta desgraçada política, estabelece protocolos para utilização dos pavilhões desportivos das escolas do Concelho, mediante o pagamento de determinada verba. Ardilosamente a autarquia transforma, as consequências de uma politica esbanjadora, que não lhe permite renovar os equipamento existentes, numa suposta política de sinergias. A malta come e não refila.

Agora, viajemos no tempo, até ao momento em que o senhorio agastado com a falta de pagamento do inquilino, põe chaves à porta e aqui só entra quem paga. Agora a malta refila, mas não come.

Pensemos então, o que aconteceria se a mesma autarquia, num acto de auto-reconhecimento da sua incapacidade de realizar obra, delegasse esta responsabilidade em terceiros, desde estradas, a pavilhões, a campos de futebol, etc, em troca de património municipal, de obra, hipotecando a sua própria autoridade e capacidade de decidir o futuro e utilização. A malta não refila, nem come porque ainda não percebeu.

Chegados aqui, já se foram os anéis, os dedos, e transforma-se esta autarquia num case study, que será utilizado para ilustrar nos bancos das universidades como exemplo da falência de uma autarquia. Aqui a malta ri, ri de tristeza e vergonha, mas ontem já era tarde.

domingo, 11 de abril de 2010

Contas FMM 2009



Estas são as contas da iniciativa FMM 2009, apresentados em reunião de Câmara de 18 de Março de 2010. De acordo com estes dados parece claro que apenas estão imputados os custos directos da iniciativa, ficando de fora os custos de utilização de toda a estrutura autárquica, pessoal em horário normal, viaturas, comunicação, etc, que contribuíram para a realização do Festival.

Era interessante conhecer os resultados de exploração do CAS, da Escola de Música, etc

Quanto ao resultado apresentado, cada um que julgue como entender.
RECEITAS
Mecenato 143.250,00
Merchandising 17.513,78
Bilheteiras 172.002,48
Ocupação via p. 34.742,00
Concessão Cerv. 63.000,00

Total da receita: 430.508,26 euros

DESPESAS
Trab. Extraordinário 61.251.06
Matérias primas e subs. 6.844,50
Fogo de artificio 5.760,00
Material de escritório 921.08
Ofertas 7.158,00
Merchandising 26.138,40
Ferramentas e utens. 639,89
Aquisição de bens 37.740,49
Comunicações 287,86
Espectáculos 195.296,11
Produção 287.872,74
Segurança 10.649,75
Aquisição de serviços 134.994,92
Expansão do Site 2.068,92
Divulgação 52.526,32
Publicidade 33.147,22
Comunicação social 19.721,08

Total da despesa 883.018,34 euros

Prejuízo da iniciativa 452.510,08 €


sexta-feira, 9 de abril de 2010

Depende, depende...

Os autarcas do Litoral Alentejano elogiaram a proposta de projecto-lei do Partido Ecologista «Os Verdes» (PEV), em discussão no Parlamento, por permitir aos municípios liberdade de decisão sobre a criação de praias para a prática de nudismo, informa a Lusa. A referida proposta visa aumentar o número de praias para a prática de naturismo e nudismo, permitindo conferir aos municípios poder de decisão sobre a criação destes espaços, que agora estão confinados a seis locais em Portugal, sendo um dos quais a praia do Salto, em Porto Covo.


Caros autarcas, caso as fotos publicadas na página IOL e no site do Semanário SOL, que ilustram a referida notícia e que abaixo reproduzo, correspondam à realidade, tem em mim um fervoroso adepto e defensor.






Caso contrário, a manter-se a tendência "escultural" da Praia do Salto, agradeço que mantenham as partes pudendas cobertas e apenas as exibam na intimidade do vosso lar e aceitem o conselho, de preferência de luz apagada.


Divulgação: Sines Surf Clube

Associação Nacional de Surfista lança Liga ProSurf 2010

Após a conclusão do processo de recepção de candidaturas por parte dos organizadores, a ANS anunciou o calendário da LigaProSurf 2010, o novo Campeonato Nacional de Surf, o qual será composto por 5 etapas.
Apesar de não esconder alguma tristeza pela ausência de praias “obrigatórias”, como as da Linha, Peniche ou Algarve, João Capucho recebe com enorme entusiasmo duas novidades absolutas para 2010: Ericeira e Sines.

Quanto a Sines, João Capucho adianta que foi “graças ao entusiasmo da organização e Surf Clube local que a etapa de Sines foi possível. É uma das zonas do País com maior potencial em termos de ondas e tenho a certeza que vai ser um dos mais espectaculares campeonatos do ano”.



Noticia completa em jornal o Jogo

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Talvez sim, talvez não.

Manual para dotar o clube e a cidade de infraestruturas necessárias e suficientes para a prática de futebol sénior e de formação, em tempo de crise.
  • Melhoramento da bancada Poente (sócios), com a colocação de cobertura e substituição dos assentos.
  • Construção de piso térreo para as Rua da Reforma Agrária e Rua da Costa do Norte, para instalação da sede social com bar para io exterior e interior do Estádio, lavandaria, ginásio e gabinete médico, espaço de fisioterapia e restantes imóveis para arrendamento do clube e/po utilização da autarquia, nomeadamente para instalação de sedes de outras colectividades, libertando a autarquia do subsidio anual e iniciando o processo de autonomia financeira do clube.
  • colocação de relva sintética no campo de treinos.
  • construção de 2º campo de treinos relvado
  • demolição das bancadas do lado nascente e construção de balneários de apoio aos campos de treino
  • recuperação das instalações sanitárias para os espectadores e balneários da formação.
  • arranjos das áreas envolventes aos campos.
  • instalação de placard no campo principal.

Estaremos a falar de 2 a 3 milhões de euros em instalações desportivas e outro tanto em imóveis, - sendo este último investimento recuperável, - que conjuntamente com o novo pavilhão dotariam a cidade de instalações para os próximos 20 anos. Doutro modo, provavelmente esperaremos os mesmos 20 anos sem nenhumas instalações e certamente sem independência e autonomia do clube.

Divulgação CCEN



quarta-feira, 7 de abril de 2010

há sempre alguém


Alguém resolveu humilhar, e aproveitou para mostrar como e quem chuta como o "inimitável" Eusébio.

Haverá almoços grátis?

A divisão dos sócios do Vasco da Gama AC, em anterior assembleia adiaram a decisão quanto a um possível protocolo com o Clube Regatas Vasco da Gama para posterior Assembleia Geral Extraordinária, realizada no passado dia 5.

Legítimas dúvidas e pertinentes questões sobre a formação de uma SAD para o futebol sénior, levou à formação de uma comissão de cinco sócios para estudo e análise, com vista a uma tomada de decisão posterior, na referida AG Extraordinária.

O protocolo de colaboração com o Clube de Regatas Vasco da Gama do Rio de Janeiro, aprovado na Assembleia Geral Extraordinária, por larga e esclarecedora maioria dos sócios presentes, passa pela formação de uma SAD para o futebol sénior, que será gerida pelo clube brasileiro, que também será responsável por todas as despesas da SAD, apoio médico e na oferta de equipamentos para todos os escalões de formação.

Como é do conhecimento de todos um bom acordo, só é bom se o for para ambas as partes. E ao contrário do que muitos pessimistas pensam existem bons acordos. Quero acreditar que este é um desses casos.

Ao contrário do que o Presidente do Vasco da Gama de Sines, afirmou na Rádio, as obras de melhoramento do Estádio Municipal, nomeadamente a colocação de um relvado sintético do campo de treinos, terá mais a ver com a falta de verbas da autarquia para iniciar a Cidade Desportiva, do que com o referido protocolo. Louvo a ambição e optimismo de Carlos Pereira, mas ao contrário da sua opinião não acredito que  a curto prazo seja possível colocar o Vasco da Gama no principal campeonato português de futebol sénior, a Liga Sagres. Mas existem vantagens e possíveis oportunidades.

Naturalmente que o nosso Vasco verá reforçada a sua equipa sénior com jogadores de valor, certamente muito acima da média do escalão onde se encontra - independentemente de voltar a subir de divisão este ano. A vinda de reforços potenciará o valor dos jogadores indígenas, quer imediatamente pela aprendizagem, quer posteriormente com a valorização competitiva da equipa. 

O Know-how em termos de metodologia de treino, gestão desportiva, hábitos competitivos, comunicação, serviços médicos, etc, permitirá alavancará as capacidades de todos os actores  actuais - atletas, técnicos e dirigentes - do Vasco.

Naturalmente que devemos compreender que os dirigentes do Vasco da Gama do Brasil, serão igualmente tão zelosos quanto nós a defender os seus interesses. E quais serão esses interesses? O clube de Sines como uma porta de entrada dos seus jogadores no mercado Europeu? Parece-me pouco, o escalão competitivo onde se encontra, garante-nos uma  visibilidade pouco compatível com as naturais ambições de um clube com a dimensão mundial do Vasco da Gama do Brasil. Enfim eles lá saberão. Compete-nos aproveitar a oportunidade sem comprometer os interesses do Vasquinho.

Certo é que doravante nada voltará a ser como dantes.

Finalmente posso dizer bem

Sines:Animais abandonados entregues no 'Hotel de Animais de Companhia'

Desde o passado dia 1 de Abril que os animais recolhidos na via pública ou capturados no concelho de Sines estão a ser reencaminhados para o centro de recolha oficial "Hotel de Animais de Companhia" em Santiago do Cacém.
   
   


Trata-se de uma medida da autarquia sineense no sentido de "zelar pela saúde pública" e "garantir a higiene pública e tranquilidade da população".

O acordo com o 'Hotel de Animais de Companhia' foi a solução encontrada pela autarquia para acabar com o número cada vez mais elevado de cães abandonados na via pública, desactivando o espaço de recolha que a CMS dispunha na ZIL 2 da cidade.

Os animais não reclamados pelos seus detentores no prazo de 8 dias serão dados para adopção e, em último caso, sujeitos a eutanásia.

O custo mensal do serviço contratado pela autarquia sineense está fixado em 845 euros.

Antena Miróbriga

terça-feira, 6 de abril de 2010

Finalmente



Finalmente foi descoberto o modelo que serviu de inspiração à Estátua do Rei Eusébio. Excepto a mão direita aberta e o braço esquerdo levantado, são em tudo semelhantes começando pela carreira e modéstia.

Deixem a sociedade respirar

O «Estado tem a obrigação de, quando não há respostas sociais da parte dos cidadãos, suprir» essa lacuna, devendo ainda «coordenar as respostas que existem e estabelecer metas, dando ainda instrumentos de apoio para a sobrevivência e o serviço das instituições».
Padre Lino Maia, Presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade


A Câmara tem politicas definidas para a cultura, para o desporto, para a educação, etc, sendo que tem a obrigação de as concretizar, sendo que aquilo que entender não conseguir fazer deve contratualizar com terceiros.
Manuel Coelho, Presidente da CMS, Acta n.º 10/2009, reunião de 2009.03.30


No primeiro caso o Estado deve intervir onde a sociedade civil não responde, nos restantes casos define, regulamenta e fiscaliza os apoios que concede. É uma posição defensora da libertação da sociedade civil e dos seus agentes.

No segundo caso, é o fomento da degola do orçamento local, com a prepotência de quem sabe o que o povoléu quer - se não quer aprende a gostar, educa-se o povo. Mas deixa a porta aberta para contratar terceiros. 


Hoje descobri que existe uma canção grega que diz: "tenho medo daquilo de fazem por mim, sem mim."