quarta-feira, 31 de março de 2010

Vasco da Gama soma mais 3 pontos

Daniel Direito e Eliomar Tavares marcaram os golos do Vasco

Vasco da Gama e Barreirense defrontaram-se este domingo em jogo da 26ª jornada do campeonato, jogo entre dois clubes históricos a nível distrital e nacional devido aos muitos êxitos desportivos e á formação de atletas de grande qualidade. Hoje a realidade de ambos é bem diferente do passado mas com perspectivas de voltar ás grandes competições nacionais, Vasco e Barreirense voltaram a apostar na sua formação para recomeçar uma nova historia no futebol distrital, após ambos passarem por muitos problemas financeiros estão agora de volta para recuperar o prestigio perdido.
As nossas aspirações são bem diferentes às do Barreirense, estamos a lutar até que matematicamente seja impossível a subida de divisão e o nosso adversário de domingo esta num descansado 8º lugar que já não permite a descida de divisão, logo o jogo era de importância máxima para nós em que mais uma vez só a vitoria nos interessava.

Jogo equilibrado na primeira parte com as duas equipas a jogarem o jogo pelo jogo onde se previligiou sempre o futebol apoiado e muito disputado a meio campo, inauguramos o marcador através do Daniel Direito que concluiu com classe uma jogada quase toda ela ao primeiro toque onde o Idi fez assistência perfeita para o Daniel, inverteram-se os papeis habituais entre ambos. O Barreirense como nada tinha a perder ou ganhar continuou muito tranquilo no jogo, não se deixou afectar com o golo sofrido e teve capacidade de resposta antes do intervalo ao empatar o jogo, cruzamento para a nossa área e a bola sem sofrer qualquer desvio entra junto ao segundo poste, 1-1 ao intervalo.

Na segunda parte corrigimos os erros da primeira e o equilíbrio existente ate ao intervalo ficou nos balneários, segunda parte completamente dominada por nós com atitude de uma equipa que quer chegar muito mais longe que o 4º lugar. Os nossos ataques foram constantes com sucessivas ocasiões de golo que muitas das vezes tiveram grande intervenção do guarda-redes do Barreirense, tanto procuramos o golo e a vitória que fomos premiados com um golo após passe de Daniel Direito para as costas da defesa onde Idi á ponta de lança finalizou, fez o seu 16º golo no campeonato. Vitória justa pela segunda parte que fizemos, o resultado pela margem mínima espelha a grande recuperação do Barreirense no campeonato e a sua boa equipa.

CLASSIFICAÇÃO:

Sesimbra - 62 pontos

Olímpico Montijo - 59

Amora - 57

Vasco da Gama - 56

27ª jornada, 11/04/2010 às 16h Palmelense vs Vasco da Gama.

domingo, 28 de março de 2010

O Programa de Estabilidade e Crescimento e a CGTP

Os burros somos nós

Leio hoje o Siniense com o mesmo interesse que os panfletos da Igreja Universal do Reino de Deus (salvo o devido respeito a esta igreja) ou do intermarché. O primeiro baseado na fé, crença e no milagre de um Deus salvador, o segundo pelo isco das campanhas de preços baixos.

Estou careca - literalmente - de ouvir promessas, e projectos e planos que se arrastam desde há anos, ultrapassaram várias campanhas, cruzaram executivos, e sempre, sempre repetidos no Siniense, há semelhança da estória do burro e da cenoura. ( nota muito importante: antes que o Exmo Senhor Presidente se sinta ofendido, os burros somos nós).


Anunciam euforicamente obras que os outros concelhos estão perto de renovar, como o estacionamento dos Paços do Concelho.  Por acaso não conheço nenhuma autarquia cujos edifícios estejam tão mal tratados  como os nossos, o caso do edifício técnico é o paradigmático.

As escadas da praia, a falésia, as ruas, o centro histórico, os equipamentos desportivos, as acessibilidades, tudos, mas tudo adiado, sempre à espera de mais um projecto, uma candidatura, uma megalomania que  permita continuar a adiar, o que nos outros Concelhos se vai construindo, modernizando, actualizando. O caso das ciclovias é elucidativo, à quantos anos se ouve falar em ciclovias em Sines, começou pela costa do norte- praia vasco da gama, depois até são torpes, mais tarde o inicio seria inserida num eco(???) parque da ribeira dos moínhos, mais recentemente já ouvi falar na ciclovia do parque do natural do sudoeste alentejano e costa vicentina. Talvez se faça, talvez apareça um fundo comunitário ou um apoio estatal, mas entretanto noutros concelho hoje já se recuperam ciclovias feitas no inicio da década de 90. Ou seja, noutras localidades, pelo menos uma geração já usufruíu daquilo que a nós apenas prometeram.


Não poderíamos ter um edifício administrativo, um pavilhão de feiras e exposições, um parque da cidade, um pavilhão multi-usos, etc, etc, etc, há mais de 10 anos ao serviço de Sines. Mas não, faz-se pouco, quase nada, e o pouco que se faz tem de ser o melhor, candidato a dezenas de prémios de arquitectura, como quem vive numa barraca de chapa de zinco com parabólica e porsche à porta. 

Olho para as localidade da região, Odemira, Santiago, Santo André, Grândola, e vê-se um sopro de modernidade, um esforço de investimento, um aconchego de arrumação, um cuidado de quem ama o que administra. Houve um inequívoco enriquecimento e valorização do tecido urbano nestas localidades e um retrocesso em Sines. 


Fontes bem colocadas garantem-me que as posições tendenciosos do Siniense se devem às pressões que o presidente Manuel Coelho, fará sobre o Director do Jornal, Manuel Coelho.

sábado, 27 de março de 2010

os pés pelas mão


O concurso para o futuro (curioso como sempre que se fala de investimentos em Sines, é antecedido da palavra futuro) pavilhão multi-usos de Sines, deverá  ser lançado este ano e a obra concluída em 2012. Numa obra que segundo o presidente da autarquia não pode (???) exceder os 6 milhões de euros - porquê? deduzo que seja a contribuição da Petrogal. Em termos de pavilhões desportivos, a falência da autarquia torna-a refém da disponibilidade de terceiros, primeiro no Porto Covo, agora em Sines.

Em entrevista ao Setúbal na Rede, o presidente da autarquia, reconhece que existem “carências a este nível nas instalações dos equipamentos desportivos actualmente existentes", mas que o pavilhão “nunca poderá ser excessivamente caro, tendo em conta a actual situação financeira da Câmara Municipal de Sines”.

Eis duas questões para as quais o referido edil parece ter despertado, a falta de equipamentos desportivos em Sines e a falência da autarquia.
Sines foi em meados da década de 80, uma referência do desporto regional, pelos equipamentos, pelos atletas e pela participação. Desde então devido à incapacidade de execução e realização, não a falta de meios, Sines não abrandou, estancou.  Para comprová-lo a inversão do fluxo dos atletas da região, Sines era receptor de atletas da região em várias modalidades, hoje verifica-se o inverso.
Ultrapassados acenam-nos com equipamentos (pavilhões desportivos, relvados sintéticos, campos de ténis), que as outras localidades já possuem há muito tempo - até as piscinas municipais tem um atraso de uma década.  

Quanto à situação financeira da autarquia, em vez de utilizá-la como motivo para não efectuar os equipamentos que deve aos Sinienses, devia é preocupar-se em explicar com o é possível chegarmos a esta situação, num concelho carente de equipamentos Aliás não deixa de ser curioso, como duma assentada o edil reconhece a falta de equipamentos e a falta de dinheiro para executá-los.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Divulgação

Circuito do Alentejo 2010


1ª Etapa
COSTAZUL SURF ALENTEJO 2010
17/18 de Abril - São Torpes, Picoloco

A competição será nas modalidades de Surf, Longboard e Bodyboard, nos escalões Surf Open, Surf Feminino, Surf Sub-16, Surf Sub-12, Bodyboard e Longboard.

As inscrições deverão ser enviadas para sinessurfclube.inscricoes@gmail.com com nome completo, modalidade, escalão de competição e contactos (tlm, mail e morada), até ás 12 Horas do dia 16 de ABRIL de 2010. Só serão aceites as inscrições com todos os dados solicitados.

Dado que há mais modalidades a competir, a organização estabeleceu um limite de atletas por escalão de competição. O ranking será ordenado de acordo com a data de recepção das inscrições e no dia anterior á prova, anunciados os participantes efectivos.

É importante que todos procedam rapidamente às inscrições para assim garantirem o lugar na competição. As inscrições são de 10€ para sócios SSC (quotas em dia) e sócios das parcerias com clubes e 20€ para não sócios. Quota mensal SSC (1€).

Teremos ainda um Meeting dos Núcleos de Surf das Escolas de Sines e Odemira, no âmbito do Desporto Escolar, estruturas para Skate, o Praia Pro Futuro (limpeza de praia) e ainda:

Kalux Surf Expression session
Phoenix Bodyboard Expression session





Street Surfing Demonstração

Organização:


Contactos da organização:
Tlm: 933414808 / 914569399 / 919566911

quinta-feira, 25 de março de 2010

Vasco ganha no Rosarense

Daniel Direito marcou e decidiu o jogo

Deslocamos-nos até ao difícil terreno pelado do Marítimo Rosarense em jogo da 25ª jornada do campeonato, onde os nossos adversários directos também cumpriram a sua obrigação ao vencerem os seus jogos: Olimpico Montijo 4-3 Trafaria, Barreirense 0-1 Sesimbra e 1º Maio Sarilhense 0-2 Amora. Na frente da tabela classificativa tudo na mesma, quando ficam a faltar apenas cinco jornadas para o final do campeonato.

Tivemos pela frente um jogo muito difícil num terreno a que não estamos habituados a jogar com regularidade, mas se queremos alcançar os objectivos a que nos propusemos temos sempre que jogar da mesma forma seja qual for o campo de jogo. Além do terreno difícil para praticar bom futebol enfrentamos um adversário bem organizado e que no seu terreno dificilmente é batido com facilidade como ficou provado este domingo, jogo equilibrado e de muita luta onde fomos sempre a equipa que procurou ganhar o jogo.

No inicio da partida sentimos naturais dificuldades em impor o nosso futebol devido ao piso mas com o passar do tempo adaptamos-nos ao bater da bola e começamos logo a criar perigo junto da baliza adversária, contudo na hora de finalizar neste tipo de piso nunca é certa a estabilidade da bola no momento de remate. Ao intervalo mantinha-se o 0-0, justo pelo que as duas equipas tinham feito na primeira parte.

Na segunda parte o jogo esteve um ritmo mais elevado, muito devido ao nosso empenhamento em ganhar o jogo, aumentando a pressão sobre o Rosarense, para trazer os três pontos. Continuava um jogo de muita luta, com o passar do tempo a agressividade em cada jogada aumentava com o árbitro a ter um critério largo nas entradas dos jogadores do Rosarense sobre a nossa equipa, mas é nestes jogos que se testa a capacidade de luta e personalidade das grandes equipas. Já bem perto do final beneficiámos de um penalti, após um defesa adversário jogar a bola com a mão dentro da área. Chamado a marcar, Daniel Direito voltou a provar que é especialista na marcação de penaltis e fez o golo da vitória, que parecia já não ser possível.

Somamos a 8ª vitória consecutiva, espelho da melhor fase da época e preparados para a recta final do campeonato.


Domingo, 28/03/2010 às 16h em Sines: Vasco da Gama vs Barreirense.

Já se fosse para a erosão financeira


Cem milhões contra a erosão costeira

""...a Câmara de Sines considera não existirem situações de "risco de derrocada imediata", mas a palavra de ordem continua a ser, para o presidente Manuel Coelho, prevenir.
A falésia em que assenta a fortaleza do Pessegueiro, a praia da Samouqueira (Porto Covo) e a praia Vasco da Gama (Sines) são apontadas como as áreas mais vulneráveis."

noticia completa JN

Orgulhosamente só

Autarcas contra o plano de ordenamento do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina

Não será por escassez de debate que a revisão do plano de ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina continua a motivar críticas: muitos são os que se mostram contra a versão final de um dos mais importantes documentos de ordenamento do território, que o Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) colocou em discussão pública a 18 de Março.
Ontem, entre os mais acérrimos contestários da revisão, três dos quatro presidentes dos municípios abrangidos pelo parque natural, Odemira, Aljezur e Vila do Bispo, divulgaram uma posição conjunta em que "manifestam total desacordo" relativamente à forma com as actividades tradicionais, nomeadamente a pecuária, a agricultura e as pescas são "tratadas" no documento final apresentado na discussão pública.

Contestam a forma "prepotente" como o plano "impõe" novas regras sobre a edificabilidade no parque natural, "ignorando direitos adquiridos por proprietários locais", incluindo diversas situações com pareceres favoráveis emitidos pelo ICNB e continuam sem entender a necessidade de fixar uma linha de protecção costeira de dois quilómetros, para delimitar "o desenvolvimento turístico sustentável tão necessário à economia local".

No seu todo "trata-se de um documento fastidioso, de duvidosa constitucionalidade, de clara ingerência nas competências municipais", consideram os autarcas. Para estes presidentes de câmara, está-se perante um articulado que "ultrapassa largamente" o âmbito a que deve obedecer um plano especial de ordenamento do território, e entendem não se compatibilizar com planos de ordem superior como os planos regionais de ordenamento do território do Algarve e do Alentejo.

Os três presidentes socialistas expressam ainda a sua "profunda preocupação, desconforto e incómodo do ponto de vista político" que todo o processo lhes suscita e advertem que "não pactuarão com quem quer que seja" quando estiverem em causa os "legítimos interesses das populações" e o desenvolvimento equilibrado dos territórios.

Igualmente crítica, mas por razões opostas, posiciona-se a Liga para a Protecção da Natureza (LPN) ao "denunciar o risco" que o novo plano de ordenamento "constituirá para a biodiversidade" de um território litoral com cerca de 75 mil hectares de área, "uma das mais importantes" de Portugal e que possui valores naturais "únicos" no contexto europeu.

A LPN receia que as "pressões" promovam um crescimento turístico e urbanístico "incompatível" com o desenvolvimento sustentável da região.
Primeiro foi com os autarcas a norte do Concelho de Sines, com a polémica do traçado da REFER, agora a sul com o plano de Ordenamento do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, quebrando a unanimidade e solidariedade dos autarcas socialistas.
Manuel Coelho está cada vez mais orgulhosamente só. Cada vez acredita mais que está certo e o resto do mundo errado, já vimos isto acontecer e todos sabemos como acaba e quais as consequências. 


terça-feira, 23 de março de 2010

Greve na Galp

Os trabalhadores da refinaria da Galp Energia de Sines decidiram esta terça-feira, em plenário, a realização de uma greve contra a proposta de aumento de ordenados apresentada pela Galp.

Mas esta greve só avança se os trabalhadores da empresa no Porto e em Lisboa concordarem.
Hélder Guerreiro, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Química. O sindicato reivindica um aumento salarial na ordem dos 2,8 por cento, com 55 euros de aumento mínimo, e a renegociação do prémio de produtividade.

ver notícia completa correio da manhã

Dário Garcias, um Siniense a brilhar em Espanha

a imagem do atleta Dário Garcias, não se refere à corrida mencionada no post


Resultados de la Media Maratón “Cáceres 2016”
 
Darío García (Portugal) recorrió los 21 kilómetros en el Paseo Cánovas en Cáceres (España), en 1 hora 9 minutos, tiempo que le valió el primer lugar en la competencia. Tras él llegaron Joao Serralheiro, logrando una marca de  1hora 1 minuto y Carlos José Lorenzo Blanco con 1hora 10minutos.
Por su parte de las mujeres la primera en llegar a la meta fue Sara Rodríguez con un tiempo de 1 hora 32 minutos, seguida de María Ángeles Yuste, del Club de Maratón de Cáceres, quien llegó a la meta con un tiempo de 1 hora 41 minutos. Finalmente el tercer lugar lo ocupó Elena Borrega tras llegar a la meta con un tiempo de 1 hora 44 minutos.
Esta competencia tuvo además un significado especial porque sirvió para apoyar la campaña de Unicef “Gotas para Níger”, con la finalidad de sensibilizar sobre la importancia del agua.


 Soy maratonista


Nota: Este artículo es un homenaje a mi amigo Dárío y todos los atletas que a pesar del esfuerzo y el mérito, los periódicos de deportes persisten en olvidarse de ellos.

sábado, 20 de março de 2010

Limpar Portugal - Um Inevitável Sucesso

Parece óbvio que mesmo com algumas contradições os Portugueses quando mobilizados aderem ás grandes causas.
A iniciativa Limpar Portugal também por cá obteve um grande sucesso.
Câmara Municipal, Juntas de Freguesia, QUERCOS, ICN, Escolas, Escuteiros e muitos voluntários provaram que é possível, de maos dadas defender o que é de todos-a natureza!
Não está tudo limpo de facto mas, foi dado um forte contributo para tudo ficar mais limpo.
O Importante agora é não sujar.
Bem Hajam!
ef

sexta-feira, 19 de março de 2010

Recordar é viver

Porto Covo actualmente


22 de Agosto de 2009, retirado do site do SIM
"João Romão, 30 anos, natural de Porto Covo, lidera uma equipa jovem, movida por uma enorme vontade de trabalhar POR PORTO COVO.

Nas palavras de João Romão "esta candidatura representa uma alternativa independente, credível, competente, para poder fazer mais por Porto Covo, pois representamos uma equipa jovem mas já como muita experiência de vida, que tem ideias próprias, ambição e vontade de trabalhar mais e melhor POR PORTO COVO!"

João Romão sublinhou a confiança que lhe é dada por um movimento formado por pessoas que têm obra realizada em Porto Covo, tendo destacado "a construção da nova ETAR; melhoramentos no abastecimento de água; qualificação da Rua Vasco da Gama e Praça Marquês de Pombal; aprovação do Plano de Urbanização (PU) de Porto Covo; solução do bloqueamento do artigo 47º e realização das obras de infra-estruturas; protocolo com a Associação A Gralha para o novo centro de dia, com disponibilização do terreno e comparticipação no financiamento da obra; instalações do futuro pavilhão multiusos e piscina aquecida; candidatura ao Polis e sua aprovação para a praia da Samoqueira, Praia Grande, Praia do Pessegueiro".

Manuel Coelho, candidato a Presidente da Câmara, referiu-se também ao Polis do Sudoeste, com um investimento de 3 milhões e 200 mil euros, em Porto Covo, incluindo, para além das referidas intervenções nas praias, a requalificação do portinho, para um melhor serviço ao turismo e ao desenvolvimento de Porto Covo.

No mesmo sentido, refere ter sido nesse mesmo dia aprovado pela Câmara a que preside o lançamento do concurso para a estrada de acesso a Porto Covo, desde Morgavel (CM 554)."

Troca-se pavilhão por estrada?

Pavilhão Multiusos de Porto Covo inaugurado dentro de três meses

A CM de Sines prevê que a obra do pavilhão multiusos de Porto Covo estará concluida dentro de três meses. Em declarações aos jornalistas, o presidente da CM de Sines Manuel Coelho esclareceu que a obra sofreu atrasos e ao contrário do previsto não será inaugurada em Abril.

A obra do futuro Pavilhão Multiusos de Porto Covo está em curso desde Junho de 2009. Em construção junto ao Parque de Campismo da localidade, o pavilhão ficará preparado para as principais modalidades desportivas e para a realização de eventos de natureza cultural e social.

O equipamento vai beneficiar ainda de uma piscina aquecida para a aprendizagem e prática de natação, avança o autarca sineense.

Orçada em seiscentos mil euros, a obra é custeada e executada pela Filigalva, no âmbito de um acordo estabelecido com a CM de Sines para o Plano de Pormenor da Cova do Lago.

Antena Miróbriga

Divulgação

I Etapa do Campeonato NACIONAL Surf Esperanças 2010

Após a realização da I etapa do Campeonato NACIONAL de Surf Esperanças 2010, que reúne os melhores atletas do país em Sub-18, Sub-16, Sub-14 e Sub-12 os resultados foram muito bons e fazem antever uma época cheia de êxitos para os atletas Sines Surf Clube, senão vejamos os rankings nacionais:


Ranking Nacional Sub-18
5º Lugar – Luís Saias
9º Lugar – João Pereira
17º Lugar - João Buraca

Ranking Nacional Sub-16
7º Lugar – André Faria
17º Lugar – Ricardo Mendonça

Ranking Nacional Sub-14
9º Lugar – Manuel Raposo
9º Lugar – Santiago Miranda
13º Lugar – Pedro Mendonça

Ranking Nacional Sub-12
1º Lugar – Mateus Beleza
9º Lugar – Vasco Mónica
9º Lugar – Gustavo Matos


Ranking Nacional Sub-18 Feminino
9º Lugar – Cláudia Santos
9º Lugar – Mariana Campeã


Muitos parabéns aos atletas e respectivos treinadores.

Relembro ainda que o SINES SURF CLUBE organizará em 25 e 26 de Setembro de 2010, a 5ª etapa deste mesmo Circuito Nacional, em São Torpes.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Mais um projecto

Vasco da Gama continua a vencer


Ruan Carlos estreou-se em Sines para o campeonato


Mais uma jornada, mais uma vitória. No domingo na recepção ao 1º de Maio Sarilhense vencemos por 3-1 com dois golos do Idi e um do Daniel Direito, nesta que foi a nossa 7ª vitória consecutiva. Com mais esta vitória e beneficiando do empate (1-1) do Olímpico Montijo no terreno do Beira Mar Almada encurtámos a distância para o 2º classificado para 3 pontos, o Sesimbra e Amora ganharam os seus jogos mantendo a diferença de 8 e 3 pontos respectivamente.


Na primeira volta perdemos em Sarilhos três pontos talvez muito importantes para as nossas aspirações e neste jogo queríamos rectificar o primeiro resultado. Desse jogo ficou a referencia de que o 1º de Maio Sarilhense aposta muito na transição rápida para o ataque, mas que a defender tem muitas fragilidades que  soubemos aproveitar, ainda que tenhamos pecado muito na finalização.

Entrámos a ganhar neste jogo, aos 40 segundos Edson Malik fez excelente passe a isolar o Idi que em velocidade partiu sozinho para o guarda-redes adversário e fez o 1-0 com a defesa do Sarilhense apanhada em contra-pé. Com a tranquilidade do golo madrugador partimos para uma exibição confiante e personalisada com o controlo do jogo sempre do nosso lado, ainda no primeiro tempo o inevitável Idi fez o 2-0 num bom remate á entrada da grande área sem hipóteses para o guarda-redes.


Ao intervalo já tínhamos metade da tarefa resolvida e esperando que os nossos adversários directos não estivessem como nós, a ganhar os seus jogos. Na segunda parte chegamos ao 3-0 após um atraso do defesa do Sarilhos para o guarda-redes que agarrou a bola, interpretou como corte do seu colega mas o àrbitro não interpretou assim e assinalou livre indirecto com toda a equipa do Sarilhense na linha de baliza, apesar da grande barreira o Daniel Direito fez golo. Já perto do final o Sarilhense reduziu para 3-1 numa jogada de contra-ataque, este golo premiou esta equipa que jogou sempre o jogo pelo jogo e não fez anti-jogo em fase alguma do jogo.


De realçar a nossa série de jogos sempre a ganhar (7) e o grande momento do Idi que tem vindo a marcar e já leva 15 golos no campeonato.





Domingo, 21/03/2010 às 15h Marítimo Rosarense vs Vasco da Gama.

José Trocas-te

Traçado Refer

O Presidente da CM de Sines voltou a insurgir-se contra a suspensão do traçado previsto pela REFER, para o troço Sines-Grândola, numa reunião que manteve com o Secretário de Estado dos Transportes, Carlos Correia da Fonseca.

No encontro, que se realizou na passada sexta-feira, com o Secretário de Estado dos Transportes, Carlos Correia da Fonseca, Manuel Coelho ouviu do membro do Governo as razões que levaram à suspensão do traçado inicial mas não ficou "convencido" com os argumentos do governante.

Para Manuel Coelho, as razões económicas que estiveram na base da decisão, podem vir a ser desastrosas para a competitividade do porto de Sines e do País.

No entender do autarca, as intervenções de correção nos troços Sines-Ermidas/ Ermidas-Grândola norte não respondem às necessidades actuais do porto de Sines. Manuel Coelho diz que aquele traçado "tem problemas insolúveis" como "a inclinação de via acentuada e ângulos de curva muito apertados, mantendo-se os constrangimentos aos grandes comboios e os gastos excessivos de energia para os traccionar".

Manuel Coelho não concorda ainda com as obras de reparação da linha Ermidas-Grândola norte que coincide com a grande ferrovia do sul, onde circulam comboios de passageiros e de alta velocidade.

O autarca lembra que o pólo de Sines tem um peso muito elevado para a economia nacional e teme que as escolhas actuais venham a revelar-se prejudiciais para a competitividade do porto de Sines.

ver mais em Antena Miróbriga

terça-feira, 16 de março de 2010

Tudo como previsto


Nestes tempos de dúvidas é reconfortável termos certezas inabaláveis, como não acreditar no que promete Mauel Coelho. Não que isso seja importante em termos eleitorais, pois quem vota nele, não vota pelo que fez pela cidade e sua gestão, nem pelo que promete, e menos ainda no que acredita que fará, vota por outros motivos, muitos mais prosaicos.

Nunca defendi a solução apresentada para a Cidade Desportiva (lembram-se do post sobre pornografia eleitoral, quando se colocou um outdoor à entrada de sines a anunciar a futura cidade desportiva, em período eleitoral?), numa autarquia endividada como um jogador de casino e com carências de um favelado. É que isto de construir equipamento não se trata apenas da construção, mas do seu funcionamento e manutenção. A propósito existirá alguém que saiba os custos anuais de funcionamento e manutenção do CAS, Escola de Artes, FMM, etc?

Mas os mais incautos que acreditaram que se faria a Cidade Desportiva, serão os mesmo que acreditam nos motivos para o seu adiamento. Segundo Manuel Coelho a futura cidade desportiva não será concretizada no actual mandato, devido à crise económica e financeira que o país atravessa. Pasme-se, o nosso edil, percebeu agora que o país atravessa uma crise económica e financeira, o que significa que mais umas dezenas de anos entenderá que a sua gestão faliu a autarquia.

Mas em contrapatida a autarquia avançará para a construção do Pavilhão Multiusos, sendo as restantes infra-estruturas faseadas e de acordo com as condições financeiras, tal como propunha o Partido Socialista, a quem compete tirar os respectivos dividendos políticos e acautelar/denunciar alguma tentativa de utilização menos correcta dos 6 milhões que a Petrogal resolver investir na construção da ex-futura Cidade Desportiva.

Quem acompanha este blogue e tem o privilégio de saber antecipadamente os acontecimentos da cidade e quase sempre de ter razão, recordar-se-á da noite em que sonhei que o executivo camarário, havia retrocedido na construção do Complexo Desportivo e estava a negociar as verbas para a remodelação do Estádio Municipal. Eis que o sonho se realiza alguns posts depois.
Segundo o site da Antena Miróbriga: "Para colmatar as alterações à calendarização da cidade desportiva, a autarquia decidiu avançar com um conjunto de obras de requalificação do estádio municipal."

Para os mais distraídos apenas quero recordar que o Estádio Municipal que será agora requalificado, era onde ficaria a projectada cidade administrativa de Sines.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Expropriados de corpo e alma



"Da Câmara Municipal de Sines nunca houve resposta. O que é estranho."
Filipe Eusébio, advogado da Associação de Expropriados do GAS.


Ouvir também programa da Antena 1, de Maio de 2008

"Da CM Sines tem havido uma muito grande dificuldade em se ouvir, foi uma grande beneficiada com esta situação, terrenos urbanos reverteram para a autarquia, pelo que não tem  interesse em resolver a questão. Vende-os (aos terrenos expropriados) a preços especulativos, que faz corar qualquer pessoa. Terrenos expropriados a 500 escudos/m2, são hoje vendidos a 20.000 escudos/m2. portanto a CMS nunca quis resolver o problema.

Em contradição completa com o que defendia durante muitos anos, defendendo os expropriados, agora que se vê com os terrenos nas mãos vende-os para grandes superficies e loteamentos."
Manuel Lança

Locutora: "Ninguém podia impedir a CMS de fazer estes negócios?
Dr. João Cavaleiro e Silva, um dos advogados defensor dos expropriados: "Acho mais positivo falar das entidades que estão interessadas em resolver o problema, como a Câmara de Santiago do Cacém.

A não notícia

Hoje a imprensa noticiava que depois de mais um anunciou de reinicio das obras, esta segunda-feira a construção da fábrica da La Seda em Sines continua parada. Onde está a notícia?

Divulgação

Efacec ganha manutenção da refinaria de Sines por 12 milhões
A Efacec ganhou a adjudicação da manutenção global da refinaria de Sines, que faz parte do universo Galp. Um contrato no valor de 12 milhões de euros, "um dos maiores existentes em Portugal" neste domínio, e que tem a validade de quatro ano

ver noticías completa em Jornal Negócios

sábado, 13 de março de 2010

Afinal MENTIR, Não tem problema nenhum!

"Se Sócrates mentiu, nem acho que seja muito grave"



 
Uma girl em todo o seu esplendor.
Esta cidadã é membro da Comissão de Ética do Parlamento

sexta-feira, 12 de março de 2010

Divulgação

TIRO - FOSSO OLÍMPICO 5ª / 6ª JORNADAS DO
REGIONAL, ACCSINES VENCE, PEDRO HILÁRIO 2º DA GERAL E 2º DE SENIORES, JOAQUIM GUERREIRO 4º DA GERAL E 1º EM VETERANOS EM MAIS UM EXCELENTE CONJUNTO DE RESULTADOS.

Com a presença de 134 atiradores e 15 equipas de clube realizaram-se a 6 e 7 de Março, em Beja , no Clube de Caçadores do Baixo Alentejo, as 5ª e 6ª jornadas do referido Campeonato. Se, no sábado, a representação sineense não esteve ao nível habitual devido ás deficientes condições atmosféricas não permitirem os habituais treinos nomeadamente no local onde se disputa a prova, no Domingo voltou a estar a estar em grande nível arrebatando 6 dos 10 troféus em disputa. No escalão mais representado com 119 atiradores seniores Pedro Hilário com um 2º lugar / 2º da geral; , no escalão de veteranos Joaquim Guerreiro 1º lugar / 4º da geral e a equipa da ACCSINES constituída pelos habituais Pedro Hilário, Fernando Sebastião e José Campos a sair vencedora, contribuíram para mais este conjunto de bons resultados a caminho do apuramento para os Campeonatos Nacionais e na luta pelos lugares cimeiros no Campeonato Regional Sul que termina no próximo fim de semana em Leiria com as 7ª e 8ª jornadas.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Sonho?

Esta noite sonhei que o executivo camarário, havia retrocedido na construção do Complexo Desportivo - bandeira eleitoral autárquica do Movimento SIM - e nos seus campos de paddle, e estava a negociar as verbas para a remodelação da bancada poente, do alargamento do campo para uma pista de atletismo e a colocação de relva sintética no campo de treinos.

Comentário que virou post

Na semana passada, enviei uma reclamação sobre o estado da estrada de Porto Covo - Morgavel.
Recebi da CMS o seguinte email:
"Em referência à v/ reclamação datada de 03/03/2010, apresentada nas Estradas de Portugal, com o processo nº 11789-REC-2010, sou a transcrever o despacho do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sines, datado de 05-03-2010:
“Em referência ao assunto apresentado por V. Exª – Estrada de Morgavel – Porto Covo, sou a informar:
1. – A Câmara Municipal de Sines, decidiu fazer uma candidatura aos Fundos Comunitários para fazer uma nova estrada com Pavimento resistente para suportar viaturas pesadas, e um perfil transversal de 08m.
2. – Estamos na fase de lançamento do concurso para as obras – com orçamento estimado de 03 milhões de euros, prevendo-se o inicio das obras em Setembro de 2010.
3. – Nesta data, logo que a intempérie passe, os serviços da C.M.S. farão uma intervenção na reparação do actual piso.
Entretanto, pede-se a compreensão dos utentes desta via – danificada pela intempérie e pela utilização indevida dos carros pesados.”"

É este o plano...estaremos cá para ver (espero que as nossas viaturas também).
Sofia Dias

quarta-feira, 10 de março de 2010

A sociedade que criamos

Num destes dias, após uma manhã de trabalho, dirigia-me para o merecido almoço, debaixo duma chuva ameaçadora. Quase no topo da ZIl, a ameaça tornara-se realidade e debaixo duma chuva diluviana, vejo um rapaz que rondaria os seus 14 anos de capuz enfiado na cabeça e passo apressado, ainda uns bons 700 metros de um qualquer abrigo. Continuo o meu caminho e reparo que parado à saída de uma empresa está uma senhora sentada no carro com as mãos tapando o rosto coberto de lágrimas.

Entretanto como se ainda fosse possível a chuva intensificou-se, foi o que bastou para me aperceber que algo estava errado comigo. Inversão de marcha, vou de encontro ao rapazito, agora já em passo de corrida. Paro o carro abro a porta e convido-o a entrar. Ele olha entre surpreso e desconfiado, hesita por um segundo e agradece, mas não. Insisto e a sua desconfiança inicial, confirma-se só podia estar a olhar para um pedófilo, raptor, assassino ou algo pior. Afinal quem poderia parar um carro, num dia de chuva para oferecer uma boleia, sem quer algo em troca e de preferência algo bem perverso e mal intencionado? A esta sua certeza, respondeu com uma corrida que depressa o terá posto a salvo da chuva. Valha isso.

Voltei a descer a rua, já a mulher desconhecida e o seu sofrimento tinham desandado. Se bem que confesso, entretanto tinha perdido a vontade de oferecer ajuda.

Mais recentemente, já noite, no regresso a casa, após a corrida diária, alguém abre o portão da garagem colectiva, o que aproveito para entrar atrás da viatura. Reconheço que vinha, calças de Lycra e parka preta, contudo tal não justifica que no final da rampa a condutora do veículo, moradora recente do prédio vizinho que partilha a garagem com o meu, por uma nesga da janela em que pouco mais caberia que uma folha de papel, me tenha gritado:

- O que quer daqui? Olhe, que chamo o meu marido!

- Mas?! Eu moro aqui no prédio, retorqui

O seu rosto corado denunciou que me terá reconhecido, e arrancou a estacionar, sem um desculpe.

Faz uns anos que um familiar próximo caiu numa rua de Lisboa e um golpe considerável no rosto lhe banhou a cara e roupa de sangue, sem que ninguém lhe tivesse perguntado nada, apesar de ter estado numa fila, comprado bilhete e somente no autocarro alguém se disponibilizou para ajudar. E fiquei eu indignado com a indiferença, quanta ingenuidade.

Esta é a sociedade que criámos, alimentamos e passamos aos nossos filhos. Todos e cada um de nós, todos os dias.

Vasco da Gama venceu em Santiago

Idi, de novo decisivo já leva 13 golos


No domingo fomos até Santiago para defrontar o União em jogo da 23ª jornada do campeonato, onde vencemos pela margem mínima. Jogo sempre especial quando União e Vasco se defrontam, apesar da rivalidade sempre existente, nos dias de hoje já não ser tão forte como antigamente, mas não deixa de ser sempre um jogo especial.


Por termos objectivos diferentes aos do União no campeonato o jogo era mais importante para nós e só a vitoria nos mantinha na luta pela subida, que enquanto matematicamente for possível não damos por perdido o objectivo. Os nossos adversários da frente também todos eles tinham jogos difíceis para disputar e só nos competia ganhar o nosso jogo e esperar por um deslize de qualquer um, o que não sucedeu.

O jogo com o União de Santiago foi muito equilibrado entre duas equipas que se conhecem bem e se respeitam, é verdade que as condições do relvado não eram as melhores devido ao mau tempo que se tem vindo a sentir por todo o país e não ajudaram a um melhor espectáculo de futebol mas ainda assim houve por parte das duas equipas uma excelente entrega e emoção do inicio ao fim do encontro. Ao intervalo mantinha-se a igualdade a zero, primeira parte com ocasiões de golo para ambas as equipas onde o guarda-redes do União esteve particularmente bem e o União queixa-se de um golo mal anulado por fora de jogo assinalado, na minha opinião assinalado tardiamente já que a jogada desenrolou-se e deu golo devido a essa demora em levantar a bandeirola, caso contrário não se estaria a falar em golo anulado.

Na segunda parte tudo na mesma até a equipa do União, em minha opinião, quebrar fisicamente e nós melhor nesse aspecto aproveitamos para atacar com mais frequência, as substituições feitas por ambos os treinadores provam esta situação com o mister João a refrescar o ataque porque sentia que o União já começava a ter dificuldades em sair para o ataque com frequência. O lance do nosso golo espelha bem algum ascendente, com o decorrer do jogo e foi assim que o Tiago Sobral antecipou-se a um defesa do União onde de cabeça isolou o Idi que correu sozinho para o guarda-redes do União e fez o golo da vitória.

Ao intervalo tinha a impressão que quem marcasse primeiro ganhava o jogo devido ao equilíbrio existente, fomos nós e ainda bem. De registar o excelente comportamento dos jogadores do União e do Vasco durante os 90 minutos.

Domingo, 14/03/2010 às 15h em Sines: Vasco da Gama vs 1º de Maio Sarilhense.

terça-feira, 9 de março de 2010

Palavras para quê









Um munícipe devidamente identificado enviou para meu conhecimento, e eventual publicação, o mail que enviou para a autarquia e a resposta que obteve. E digo eventual publicação, porque este munícipe deixou à minha consideração a publicação. Hesitei um segundo, durante o qual percebi que a coragem que falta a tantos para um gesto tão simples, deve ser incentivada.

_______________
Carta de um munícipe, dirigida aos serviços municipais:
Exmos. Senhores. Venho por este meio e como munícipe deste concelho de Sines, solicitar melhor e mais eficaz fiscalização ao estado de conservação das vias rodoviárias. É uma lástima o que se constata ! Os buracos nas ruas para trânsito automóvel e nos passeios para circulação pedonal, são aos milhares e tudo se encontra muito degradado devido ao mau tempo que se faz sentir. É urgente uma medida por parte da Câmara Municipal no sentido de minimizar os danos que esses mesmos buracos infligem nas viaturas dos munícipes e que podem resultar em acidentes graves, por projecção de pedras aos peões ou a outras viaturas. Os serviços da Câmara, deverão zelar pelo bom aspecto da cidade e pelo bem estar dos munícipes que aí vivem. Para finalizar declaro que, ao mínimo dano na minha viatura, e/ou a meus familiares, accionarei os meios necessários para ser indemnizado. Sem outro assunto, solicito resposta a este E-Mail, com a brevidade possível. Muito obrigado.
_____________________________

Resposta de um funcionário com funções de elevado relevo na autarquia:
Caro Munícipe,

Acusando a recepção do seu e-mail, permita-me rectificar, que não são com acções de mais ou eficaz fiscalização que o estado de conservação das vias rodoviárias se mantêm em bom ou mau estado de conservação. Como confirma mais á frente, as condições climatéricas não serão certamente as mais propicias á reparação dos pavimentos, contudo o Serviço de Rede Viária tem tentado minimizar ao máximo possível, reparando os mesmos.
Certamente temos a noção, que se torna quase impossível manter as vias em perfeitas condições, pois o que é reparado hoje amanhã volta ao mesmo, ou degrada-se mais ao lado. Isto é a sequência natural de mais de 3 meses de pluviosidade, não será por culpa de qualquer Serviço Camarário. Infelizmente esta situação não ocorre somente no Concelho de Sines, pois é generalizado ao Pais inteiro, inclusive as Regiões Autónomas.
Enquanto responsável operacional pelos serviços de Fiscalização Municipal e Serviço Municipal de Protecção Civil, garanto-lhe que tudo temos feito para minimizar os incómodos aos munícipes, que utilizam as vias municipais e nacionais. Como deve compreender, não somos um serviço executante, qualquer reparação ou construção é reencaminhada para o respectivo serviço competente.
Para concluir, realço que estamos sempre receptivos a qualquer sugestão ou recomendação que nos queira fazer. Quanto se verifique danos, que sejam provados serem da responsabilidade desta Autarquia, sempre têm sido devidamente tratados e resolvidos.


Com os melhores cumprimentos.

__________________________________


Ambos os mails são reproduzidos na integra e respeitam fielmente o original.
Acerca deste assunto e atendendo à resposta da autarquia, relembro alguns conceito já aqui referidos:

manutenção preventiva. É sobejamente conhecida que o principio de manutenção dos equipamentos da cidade é reactiva e não pró-activa. Não será por falta de capacidade dos técnicos, nem dos meios para elaborar um planeamento de manutenção, mas da cada vez mais insustentável situação de tesouraria da cidade.

A determinante importância de uma fiscalização eficaz, entendida a dois níveis.
A fiscalização da condição e desgaste dos equipamentos permite adoptar medidas corretivas atempadamente e a fiscalização da execução das empreitadas e o accionamento das garantias prestadas.

Efectivamente este tem sido um Inverno rigoroso e atípico atendendo os registo dos últimos 10, 15 anos, e não mais que isso. Talvez por isso tenho assistido no Município de Grândola aos serviços Municipais, de cada vez que o tempo permite, como hoje, a "remendar" buracos pela terceira ou quarta vez, enquanto aguardam que as condições climatéricas permitam um trabalho de maior profundidade. Agora não reparar hoje por que se degrada amanhã, talvez justifique muito do que existe por fazer na cidade desde longa data. Faz lembrar aqueles que não fazem a cama ao levantar porque vão desmanchar ao deitar.

A chuva tem contribuído para o estado das ruas de Sines, mas não mais que a ausência de intervenções de fundo nas ruas da Cidade. Veja-se o tapete da Av. D.Pedro I, que foi colocado recentemente e compare-se com ruas de Sines que não tem uma intervenção (pintar de alcatrão não conta) desde há muitos anos.

Mas de tudo o que mais me inquieta é a afirmação que " os serviços de Fiscalização Municipal e Serviço Municipal de Protecção Civil, garanto-lhe que tudo temos feito para minimizar os incómodos aos munícipes, que utilizam as vias municipais e nacionais." Se isto é tudo o que podem fazer, então para acrescida preocupação, ou confirmação da população, podem muito pouco, ou praticamente nada.

Penso não estar errado, quando penso que brevemente o Presidente da autarquia virá anunciar um estudo, plano ou algo semelhante para as ruas da cidade. Mas uma coisa assim em grande, que por cá não brincamos em serviço, desde que não chova, claro.

Pedido de Divulgação

Blogue Movimento Todos contra o Bullying


"Sabemos que o Bullying não é um tema novo, mas é, infelizmente, um tema actual. Tal como aconteceu a quem investigou este conceito pela primeira, foi necessária uma morte, um suicídio de um jovem, para que fosse dada a atenção necessária.
Para que o falecimento do Leandro não seja esquecido, e se previnam outros, é propósito deste movimento, informar, formar, debater, mudar mentalidades, ajudar quem precisa, escutar e fazer-mo-nos ouvir enquanto movimento cívico.
Move-nos a vontade de mudança, que este assunto seja debatido e rapidamente tomadas medidas concretas, seja na Lei, na sociedade ou só na escola.

Somos todos precisos, todos fazemos parte da comunidade, todos podemos ser vitimas ou observadores ( alguns agressores ou bullies) mas não podemos ser indiferentes.

Aqui serão colocadas as convocatórias do Movimento, textos de apoio, sites temáticos e participações de especialistas na matéria.

O e-mail do movimento está a partir de agora ao vosso dispor, por favor sejamos construtivos.

Os comentários neste blog serão sempre alvo de triagem.

Bem hajam."

segunda-feira, 8 de março de 2010

sábado, 6 de março de 2010

Seis empresas aumentam dividendos aos accionistas

Isto é que vai uma "crise"
EDP, REN, BPI, BES, BCP e Jerónimo Martins são as seis cotadas do principal índice bolsista nacional que vão aumentar o retorno aos seus accionistas em 2010. Segundo os dados já revelados pelas empresas cotadas em bolsa, o valor global dos dividendos vai subir 4,6% este ano, quando comparado com os valores do ano anterior.

A EDP é das companhias que melhor remunera os seus accionistas, aumentando o dividendo em 1,5 cêntimos, para 0,155 euros. Ainda neste sector, a REN também subiu ligeiramente a sua remuneração para 0,167 euros. Já a EDP Renováveis só vai atribuir dividendos nos próximos anos.

A banca é outro sector onde haverá uma maior remuneração aos accionistas. O BPI aumentou o seu dividendo em 1,12 cêntimos, para 0,078 euros, enquanto o do BCP subiu 0,2 cêntimos, para 0,0190 euros. Mas a maior subida neste segmento pertence ao BES, cuja remuneração aos accionista cresceu 7,14 cêntimos, para 0,140 euros.

A Jerónimo Martins, que apresentou resultados esta semana, completa a lista das empresas que subiram os dividendos, mais 30%, para 0,143 euros.

A Portugal Telecom, a Brisa e a Zon Multimédia mantiveram a sua remuneração inalterada em relação ao ano anterior. Mesmo assim, a operadora de telecomunicações liderada por Zeinal Bava é das cotadas mais atractivas em Bolsa nesta matéria, ao manter os 0,575 euros por acção.

Quanto a quedas, a Portucel e a Galp, cotadas que viram os seus lucros descer em 2009, cortaram nos dividendos. A empresa liderada por Pedro Queiroz Pereira reduziu 2,25 cêntimos na remuneração accionista, enquanto a petrolífera nacional distribui menos 12 cêntimos por cada acção.

A estrear-se na distribuição dos dividendos estão a Novabase e a Martifer, empresas cotadas em Bolsa mas que não pertencem ao PSI-20. A tecnológica propõe pagar 0,50 euros por acção enquanto a construtora atribui um dividendo de 10 cêntimos.

Segundo o Jornal de Negócios, as empresas portuguesas são as segundas que melhor remuneram os seus accionistas na Europa, com Espanha a ocupar o primeiro lugar.

Não se trata dos valores mais elevados da Europa, mas sim das remunerações accionistas cuja rendibilidade é a mais atractiva, já que a bolsa nacional apresenta um dividend yield médio de 4 ,05%, só ultrapassada pela Espanha, com 4,31%.

...e os salários???


sexta-feira, 5 de março de 2010

Boys will be... bóis

Ana Gomes sobre Rui Pedro Soares: "Atrasado mental" COMPLETO
Eu não sei quem é esse tal Rui Pedro Soares, o boy sem cv que aos 32 anos foi alçado a administrador-executivo da PT pelo Estado, a ganhar escandalosamente mais num ano do que o meu marido ganhou em toda a vida, ao longo de 40 anos como servidor do Estado nos mais altos escalões.

Socialista encartado, dizem. Será, nunca dei por ele, que eu saiba nunca sequer me cruzei com ele.

Fraquinho no descernimento é, de certeza. Porque se não quis encalacrar os socialistas, foi exactamente isso que logrou ao accionar uma providência cautelar para impedir a saída do jornal SOL com mais escutas das suas ruminações telefónicas, justamente numa semana em que os socialistas procuraram desmentir quem clamava contra a falta de liberdade da imprensa.

E se investiu para abafar o jornal, a criatura tambem não percebeu que, ao contrário, projectava ainda mais longe a radiação solar.

Com bóis destes, para que servem ao PS os boys?

A socialista Ana Gomes escreveu no seu blogue que o administrador da PT Rui Pedro Soares é um "boy" que ganha "escandalosamente": "Atrasado mental é de certeza."

do diálogo, nasce a solução

Os Vasquinhos mais novos já têm balizas.


A Guerra da Linha-Férrea

Pensavam alguns que depois do Secretário de Estado dos Transportes ter decidido que a linha férrea entre Sines e o Poceirão não seguiria o traçado proposto pela Refer através dos concelhos de Santiago do Cacém e de Grândola, ligando as Relvas Verdes a Grândola Norte, que as questões levantadas pelos municípios atingidos estariam ultrapassadas e que os estudos novos a elaborar pela Refer com base na actual linha entre Sines e as Ermidas-Sado iriam decorrer pacificamente.

Diziam estes municípios que o traçado ferroviário proposto, invadia o parque Badoca, incomodava o hospital do Litoral Alentejano, derrubava milhares de sobreiros, destruía pequenas propriedades, demolia habitações, e o mais grave de tudo seria que, na opinião daqueles autarcas e de técnicos contratados, tal não se justificaria, sendo possível a construção de uma nova ferrovia a partir do actual ramal das Ermidas, sem causar quaisquer prejuízos ao porto de Sines e à economia nacional.

O resultado de todo este processo é que o município de Sines não aceita a alteração do posição do governo, como já não aceitava as posições dos seus vizinhos de Santiago e de Grândola e ficou isolado, qual D. Quixote combatendo moinhos de vento.

E esta questão não é de somenos importância. Pode um qualquer município tomar posição contra decisões de municípios seus vizinhos e intrometer-se de forma gravosa nos assuntos internos de outras autarquias? Gostaria a população e os autarcas de Sines que os seus vizinhos viessem defender acções em Sines com as quais estivessem em total desacordo?

Nos termos da lei e da Constituição da Republica os municípios são organizações territoriais que prosseguem a defesa dos interesses das respectivas populações. Nestes termos os autarcas de Santiago do Cacém e de Grândola combateram o traçado daquela ferrovia na defesa do interesse das populações que os elegeram. E os seus argumentos foram de tal forma fortes que conseguiram alterar a posição do governo, sem prejudicar o interesse nacional, que ao governo compete defender.

Até onde irá a incoerência e a arrogância da Câmara Municipal de Sines?

Francisco do Ó Pacheco

quinta-feira, 4 de março de 2010

Greve


Trabalho à cerca de 15 anos, nunca fiz greve. Não o digo com orgulho ou vergonha.
Talvez por sempre ter desempenhado cargos de chefia, talvez por algumas vezes não concordava com os motivos da greve, talvez por outros motivos pontuais, nunca fiz greve.

Do mesmo modo nunca insinuei, coagi ou exerci represálias sobre quem decidiu fazer greve, ou quem decidiu não o fazer. Várias vezes apoiei quem fez, como procurei evitar discriminação sobre quem decidiu não fazer. Várias vezes representei as empresas em reuniões com os sindicatos.
Maioritariamente foram reuniões em que cada parte zelosamente defendeu os seus interesses, que ao contrário do que possa pensar nem sempre são contraditórios. Encontrámos soluções conjuntas muitas vezes e divergimos outras tantas. Mas sempre a amizade foi alheia ao resultado final.

Entendo os sindicatos como organizações fundamentais na sempre difícil resolução dos conflitos laborais. Assim os patrões e os sindicatos o entendam.

Por tudo isto não compreendo as notícias que me chegam, e que creio verdadeiras, que hoje nos Paços do Concelhos existiram funcionários impedidos de exercer um direito fundamental: a liberdade de exercer a sua profissão, no seu local de trabalho, auferindo a compensação respectiva.

A proibição de deixar trabalhar quem pretende é pelo menos tão grave como impedir a greve. Nem sempre os sindicatos tem os representantes ou grevistas que merecem.

Existem motivos de consciência, opiniões políticos-partidárias ou imperativos de ordem económicas que tem de ser respeitados.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Vasco 1982-83, ajuda precisa-se


Roubei esta pérola ao blogue dos Veteranos do Vasco da Gama. Veja-se o nível das equipas ( quadro abaixo), e público nos estádios, quando existia 1.º divisão nacional e depois a 2.º divisão nacional era dividida em 3 zonas (Norte, Centro e Sul). Curiosas as condição onde se praticava futebol e do bom.

mas a ajuda é para identificarmos a totalidade dos jogadores. Da esquerda para a direita começando por cima, temos: o eterno Zé Palmela (roupeiro); Toni ;Artur, René; Frutas;Piçarra, Fã; Nói Alves; Belchior; Gama.
Em baixo, Carlos Pereira; Vítor Canastra; Januário; Toca; Leonardo, Chico da Glória; Alfredo.

A ajuda chegou dum visitante de Ferreira do Alentejo, onde segundo ele, por lá também acompanharam os tempos aúreos do Vasquinho.



O Juiz decidiu, está decidido


Os debates públicos em Sines, são uma farsa. Seja qual for o tema ou assunto, passam invariavelmente por uma ideia pré-concebida e já definida, sustentada por uns académicos, supostamente remunerados regiamente, e por uns desgraçados munícipes interessados e bem intencionados, que se não concordam com as propostas apresentadas o presidente e os seus vereadores se jogam como gato ao bofe, marcando o interveniente como um alvo a abater na próxima esquina.

Existem coisas que teimo em não aprender, neste caso em boa hora ganhei juízo para não pôr os pés em debates públicos na nossa terra. O debate sobre o centro histórico não foge a esta regra, que aliás não permite excepções.

Bem podem vir os académicos e estudiosos que entenderam para caucionar as ideias já definidas desde há muito. De tudo o que li e contaram sobre as propostas apresentadas, não existe um rasgo de novidade ou criatividade. Todas já conhecia como pretensões do Presidente da autarquia, muito antes da vinda dos génios universitários e dos seus estudos e inquéritos.

O jardim nas traseiras do Centro de Artes como elo de ligação ao Largo do Areeiro, a alteração das calçadas, o patético elevador de acesso à avenida da praia, a destruição da avenida Vasco da Gama - a única avenida, digna desse nome na nossa terra -, o impedimento de estacionamento e circulação automóvel e a criação de bolsas de estacionamento nos arredores do centro histórico que matará definitivamente este espaço (conhecem alguém que não frequente o centro histórico devido ao trânsito? e o contrário?).


Segundo o site da autarquia o arquitecto João Cabral, docente da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, afirmou que o declínio do centro histórico de Sines é semelhante ao que ocorreu noutras cidades do país, tendo, neste caso, sido agravado pelas roturas provocadas pela instalação do complexo industrial.

Esqueceu-se apenas de referir que após o inicio do complexo industrial na década de 70, o centro histórico de Sines viveu períodos de vitalidade e florescimento. Agora a especulação imobiliária, a criação de contínuos anéis imobiliários à volta da urbe histórica, que alimentaram os cofre da autarquia, as grandes superfície, o fecho da rua Cândido dos Reis e as festividades na avenida da praia em detrimento do castelo, os imperativos legais e outros que impediram de construir e modernizar as habitações, esses sim, são os factores que debilitaram o centro histórico de Sines, sendo alguns comuns com os de outras localidades.

Outro génio das catedras lusas e outra iedeia que ultrapassa a minha capacidade de compreensão. Walter Rossa, o arquitecto responsável pela elaboração do Ante-plano, disse que está a ser pensada a criação de um fundo de investimento, constituído pela Câmara e pelas empresas que mostrem interesse em participar". Caso a ideia de fundo de investimento a que se refere não seja o de uma quermesse, um fundo de investimento representa um investimento financeiro, com a espectativa de um retorno, normalmente financeiro. Investiria, você caro leitor num fundo de investimento do Centro Histórico de Sines? e uma empresa com gestão profissional, fá-lo-ia? E o arquitecto Walter Rossa, está disposto a subscrever o fundo?
____________

Frases Soltas

"...o inquérito domiciliário que, entre outras conclusões, revelou o envelhecimento da população do centro histórico mas também sinais de que cresce o número de residentes jovens, bem como o facto de ainda existir muitos proprietários a habitar nas suas casas, o que poderá facilitar o processo de recuperação." Carmem Francisco, Vereadora

A esmagadora maioria dos residentes jovens foram atraídos pelas rendas baixas que os seus parcos rendimentos suportam, e os proprietários que ainda resistem devem ter uma média de 70 anos. Não me parecem que sejam potenciais investidores, mas nada como fazer um novo estudo para avaliar o perfil de investidor dos habitantes e a sua aversão ao risco.
_______________
"A instalação de uma cúpula em algumas ruas do centro histórico, “que funcionariam quase como centro comercial”, trazendo para Sines um modelo já existente noutros países da Europa. Havendo esse abrigo, acrescentou, “as pessoas já podiam estacionar mais longe e Sines seria viva de Verão e de Inverno”. Luís Venturinha, residente
"A solução da galeria coloca problemas à estrutura dos edifícios onde é instalada." Professor Walter Rossa, Arquitecto autor do Ante–Plano.

Como será a estrutura instalada noutras cidades, será que não está apoiada nos edificios? Hummmm???!!!. Isto requer outro estudo.
_____________
"a volumetria e o alçado serão os aspectos prioritários a conservar, acrescentando que o regulamento vai “permitir e até obrigar a introdução de todos os elementos necessários ao conforto numa casa moderna”. A proposta vai contemplar restrições, mas “não vai haver uma ditadura forte, muito menos na questão das cores”. Arquitecto Walter Rossa

Elucidativo. Basicamente será analisado caso a caso, uns haverá em que se pode derrubar e construir de raiz, outros em que nem uma telha pode ser removida. Quanto a ditaduras, caro arquitecto, estas não são fortes, ou fracas, simplesmente são. E dessas já basta.
_______________
A substituição do actual pavimento em pedra rolada por um pavimento mais suave mereceu a discordância da munícipe Jorge, por considerar que, apesar de incómodo, o mesmo faz parte da identidade do centro histórico. É essa, porém, uma das intervenções já previstas, e com co-financiamento aprovado, no programa de Regeneração Urbana. Do ponto de vista de Manuel Coelho, estas obras melhorarão a acessibilidade e a atractividade do espaço público do centro histórico.

Discorde ou não, tá decidido. Existem centros históricos que preservaram as calçadas originais, nivelando e enchendo estas, com soluções que permitem a drenagem das águas pluviais. Mas cá, está decidido. Ponto final.
_____________
Quanto às soluções de trânsito, Walter Rossa disse que (…), o princípio deverá ser vedá-lo a quem não vive na zona histórica. De acordo com o presidente da Câmara, está planeada a construção de bolsas de estacionamento no Largo 5 de Outubro, na zona antiga fábrica “Socor”, na zona do Mercado Municipal e, possivelmente, no futuro Pátio das Artes (envolvente do Centro de Artes).

Outra questão que estranho ninguém abordar é o estacionamento do CAS, que já na ocasião era uma bolsa de estacionamento de apoio ao centro histórico. Contudo parece-me interessante deixar a viatura no Largo do IOS e, por exemplo, num dia de chuva ir até um dos futuros serviços públicos localizados no centro histórico a pé.
____________
A propósito da construção de um elevador como solução de acesso entre o centro histórico e a Avenida Vasco da Gama.
"...os elementos arquitectónicos podem ser dissonantes e, se tiverem beleza, valorizam o espaço."
Manuel Coelho, Arquitecto, perdão, Presidente da CMS

Nós por cá

Hoje por volta das 14 horas abriu uma "cratera" na rotunda da Avenida General Humberto Delgado, junto à Pastelaria Oliveira. Atendendo ao argumento utilizado há uns anos pelo responsável da autarquia, a responsabilidade é das condutas colocadas pelo GAS há mais de 30 anos.

Entretanto para sinalizar o buraco foi colocado uma fita sinalizadora, amarrada a esta e ao sinal de trânsito. Cerca de uma hora depois já se encontrava uma retroescavadora no local, mais cinco ou seis funcionários municipais.

Qual a legitimidade da autarquia para exigir aos particulares e empresas o cumprimento das normas, nomeadamente de segurança, quanto se presta a uma sinalização desta índole?

A protecção civil municipal suscita-me cada vez mais reservas quanto à sua capacidade de lidar com uma situação grave.

Vasco continua a vencer


Filipe Mariano, capitão voltou ao onze titular


Após a realização de mais uma jornada voltamos a vencer, foi a quinta vitória seguida, desta vez frente ao Zambujalense por 1-0 com mais um golo do Idi, que já conta 12 golos no campeonato. Esta jornada ficou marcada pela derrota caseira do Sesimbra frente ao União Santiago. Com esta derrota e as vitórias dos seus três seguidores o campeonato ficou relançado quanto á subida de divisão.

No domingo e de baixo de forte chuva recebemos em Sines o Zambujalense, na primeira volta perdemos três preciosos pontos no Zambujal numa fase ainda de transição e consolidação de processos num novo campeonato. Hoje se fossemos ao Zambujal de certeza que vencíamos o jogo como ficou provado este domingo, apesar do relvado estar muito pesado onde a bola não rolava em grande parte do campo devido á forte chuva que se fez sentir notou-se a diferença entre as duas equipas, fomos sempre superiores perante um adversário que veio a Sines fazer anti-jogo com sucessivas perdas de tempo, quer a repor a bola em jogo, quer com jogadores a pedir assistência médica desnecessária. O Zambujalense pelo que foi dito pelos seus jogadores tem tido muita dificuldade em preparar os jogos e neste jogo apresentaram dois suplentes, salvo erro, mas nós não temos culpa dessas situações e custa-nos tentar jogar e a outra equipa a queimar tempo propositadamente.

Não foi possível jogar o normal devido á muita agua que acumulou no relvado mas mesmo assim pertenceu-nos a maior posse de bola e as oportunidades de golo criadas, apesar de ao intervalo se manter o nulo no marcador, resulta que convinha ao adversário. Na segunda parte fizemos tudo para chegar á vitoria, o mister fez entrar o Edson (avançado) pelo Nuno Diogo (médio) aumentando assim o caudal ofensivo para ultrapassar a barreira defensiva contrária que sentia muitas dificuldades em passar o meio campo. Passamos a jogar com três pontas de lança e finalmente apareceu o golo que deu a vitória, curiosamente numa jogada toda ela construída pelos três avançados em que o Tiago Sobral sem perder tempo fez o lançamento de linha lateral para o Edson que dentro da área cruzou para o Idi cabecear e fazer o golo da vitória.

1º Sesimbra 52 pontos
Olímpico Montijo 49 p.
3º Amora 45 p.
4º Vasco da Gama 44 p.


Capitães, Rui Silva e Filipe Mariano no jogo em Sines

Domingo, 07/03/2010 às 15h 'derby' em Santiago: União vs Vasco da Gama